Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Humilde, Palmeiras quer afastar fantasmas

O Palmeiras está disposto a esquecer um passado recente de vexames e marcar o ano de 2004 como o do retorno aos tempos de grandeza na Copa do Brasil. O técnico Jair Picerni não esconde sua ambição em conseguir levar o time a um torneio internacional meses depois de livrar a equipe da Segunda Divisão brasileira. O plano para a competição, segundo o treinador já está traçado. "E vamos com coragem de arriscar, até porque podemos antecipar uma classificação para a Taça Libertadores." A estréia é amanhã, contra a Tuna Luso, no Estádio Mangueirão, em Belém, às 21h45. Mas Picerni diz que sua ambição não significa menosprezo aos adversários embora a meta, pelo menos nas primeiras rodadas, é vencer fora de casa por vantagem de dois gols e eliminar o jogo de volta. "Apesar de no início enfrentarmos clubes teoricamente inferiores, vamos respeitar." Para reforçar a posição, lembrou que em um passado recente, o time foi eliminado pelo modesto Asa, de Arapiraca. No ano passado, perdeu para o Vitória em pleno Palestra Itália por 7 a 2, na maior derrota em casa da história palmeirense. O esquema será o mesmo do Campeonato Paulista: um time de forte na marcação e velocidade nos contra-ataques. "Vamos manter a pegada da Segunda Divisão, mas com a bola no pé vamos jogar como time de Primeira", define Picerni. A equipe é praticamente a mesma que foi campeã da Série B. A exceção é o atacante Edmílson, que se transferiu para o Japão e será substituído por Muñoz, e o zagueiro Daniel, que sofreu cirurgia no joelho e deu lugar a Glauber. Para o jogo contra a Tuna, o time ainda não vai contar com o volante Marcinho, ainda em tratamento da bronquite, mas o zagueiro Leonardo, que viajou com a delegação, está praticamente confirmado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.