Andrea Bressanutti/AP
Andrea Bressanutti/AP

Ibrahimovic faz de bicicleta, Milan vence Udinese e dispara na ponta do Italiano

Invicto com cinco vitórias e um empate, time de Milão alcança os 16 pontos e abre quatro de vantagem para a Atalanta

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2020 | 11h06

O roteiro do Milan no começo desta temporada do Campeonato Italiano se repetiu neste domingo: Ibrahimovic balançou as redes, desta com uma meia bicicleta, deu uma assistência e o time de Milão venceu outra vez. O triunfo, assegurado por 2 a 1 diante da Udinese, fora de casa, deixa a equipe confortável na liderança da competição.

Invicto na liga italiana, com cinco vitórias e um empate, o Milan alcançou os 16 pontos, abriu quatro de vantagem para a vice-líder Atalanta e reforçou seu desejo de retomar o protagonismo e brigar pelo título do torneio nacional, que não conquista desde a temporada 2010/2011. Desde então, a Juventus construiu uma dinastia na Itália e faturou o troféu nove vezes consecutivas.

O Milan está invicto há 23 jogos, considerando as partidas das competições da temporada anterior e atravessa ótima fase. A Udinese, por sua vez, continua na zona de rebaixamento, na 18º colocação, e não consegue reagir. São cinco derrotas e apenas um triunfo em seis confrontos.

Em Udine, o Milan não foi brilhante, mas manteve a consistência, conseguiu ser superior e se aproveitou da fragilidade da Udinese para vencer, mais uma vez liderado por Ibrahimovic. O astro sueco deu a assistência para o marfinense Franck Kessie abrir o placar aos 18 minutos.

Os anfitriões empataram em pênalti convertido pelo argentino Rodrigo De Paul no início da segunda etapa, mas Ibrahimovic reapareceu no fim do jogo para garantir a vitória milanista.

O veterano centroavante, de 39 anos, ganhou a disputa coma a zaga na pequena área, acertou uma meia bicicleta aos 37 minutos e selou o triunfo. Ele chegou ao sétimo gol na liga italiana em quatro jogos e lidera a artilharia isoladamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.