Paulo Sérgio Dantas/Estadão
Paulo Sérgio Dantas/Estadão

Icasa entra com recurso e quer vaga do Figueirense na Série A

Clube alega que catarinenses escalaram o jogador Luan de forma irregular

Lauriberto Braga, Especial para O Estado de S. Paulo

07 de fevereiro de 2014 | 15h29

FORTALEZA - O Icasa quer derrubar o Figueirense da Série A do Campeonato Brasileiro de 2014. O time cearense de Juazeiro do Norte entrou com um recurso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que deve ser julgado na próxima segunda-feira (10) cobrando a vaga, alegando que o Figueirense lançou contra o América (MG), em 28 de maio do ano passado, pela Série B do Campeonato Brasileiro de 2013, o meia Luan José Niedzielski irregularmente.

O diretor jurídico do Icasa, George Ferrúccio Pontes, investigou que Luan José atuou irregularmente contra o América (MG), pela segunda rodada da Série B, quando o Figueirense ganhou de 4 a 2. "Este jogador foi emprestado ao Metropolitano, de Santa Catarina, com contrato até 31 de maio de 2013 e voltou para o Figueirense sem ter rescindindo o vínculo com o Metropolitano e jogou irregularmente no dia 28 de maio contra o América Mineiro", denunciou Pontes, que está confiante que o Icasa estará na Série A do Brasileiro 2014.

O Icasa cobra a perda de seis pontos por parte do Figueirense. Se assim entender o STJD na segunda-feira, coloca o Icasa pela primeira vez da Série A do Brasileiro com 60 pontos e o Figueirense ficaria com 54 pontos, caindo para 10ª posição. "Estamos cobrando que o time catarinense perca seis pontos, sendo três da partida contra o América e outros três equivalentes a uma vitória, como reza o Código Brasileiro de Justiça Desportiva", cita Pontes.

Luan estava no banco de reservas contra o América Mineiro e entrou aos 22 minutos do segundo tempo. O Figueirense foi o quarto colocado no certame 2013 com 60 pontos e o Icasa o quinto, com 59 pontos. Subiram ainda Palmeiras-SP, com 79 pontos; Chapecoense-SC, com 72 pontos; e Sport-PE, com 63 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.