Divulgação
Divulgação

Ida de Marquinhos para o PSG pode render R$ 9 milhões ao Corinthians

Jovem zagueiro deve trocar a Roma pelo time francês e a equipe paulista tem direito a 5% do valor da transação

VÍTOR MARQUES, O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2013 | 07h32

SÃO PAULO - A negociação do zagueiro Marquinhos, que está a um passo de trocar a Roma pelo PSG, deve movimentar 35 milhões de euros (R$ 101,5 milhões). Há menos de um ano, por apenas 5 milhões de euros (R$ 14 milhões), ele havia deixado o Corinthians, que comemora essa nova transação porque poderá levar R$ 9 milhões sem fazer força.

 

Pelo acordo com a Roma, o Corinthians ficará com 5% do valor de uma transação. Caso seja sacramentada a ida de Marquinhos para o PSG por 35 milhões de euros, o Corinthians receberá R$ 4,5 milhões.

 

Pela Fifa, clubes formadores ganham até 5% de uma negociação. Isso é calculado pela idade do jogador no momento da negociação e pelo tempo que ele passou no clube de origem. Isso significa que o Corinthians pode faturar outros R$ 4,5 milhões. "Não vendemos por um valor baixo. Esses é que são altos", afirmou Duílio Monteiro Alves, diretor adjunto de futebol.

 

Os 5 milhões de euros já haviam sido um valor bom para um jogador de defesa de 19 anos, mas duas perguntas estão no ar agora que o garoto está prestes a ser vendido por sete vezes mais. O Corinthians poderia ter lucrado mais? E por que, afinal, ele não ficou no clube?

 

O contrato de curta duração, a vontade do jogador de atuar no exterior e as poucas oportunidades no time motivaram a saída precoce do atleta.

 

Marquinhos havia sido um dos principais jogadores do time na conquista da Copa São Paulo de 2012. Depois disso foi promovido aos profissionais num elenco que contatava com Chicão e Paulo André, a dupla de zaga que jogou o Mundial, e reservas como Wallace, hoje no Flamengo, e Anderson Polga, que não está mais no clube.

 

Para um zagueiro, ele foi considerado "muito franzino" pela comissão técnica, além de ter baixa estatura. Suas chances de virar titular a curto prazo eram mínimas.

 

Quando veio a proposta da Roma, Marquinhos tinha um ano e meio de contrato. Foi a chance que ele e seu pai viram para deixar o clube. "Claro que se soubéssemos que ele poderia ser negociado agora por esse valor não teríamos vendido. Mas não fizemos um mau negócio", garante Duílio.

 

O Corinthians, segundo ele, amarrou bem o contrato na época da venda para a Roma. Ano passado, Marquinhos foi emprestado com valor fixado em 5 milhões de euros. A Roma pagou à vista 1,5 milhão de euros (R$ 4,3 milhões), e vai pagar agora os 3,5 milhões de euros restantes com câmbio atualizado – R$ 10,1 milhões em valores de hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.