Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Ideal era que Robinho não tivesse jogado', diz Oswaldo de Oliveira

Volante sentia dores no músculo adutor da coxa e na região do púbis

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 09h37

A escalação do Palmeiras na partida contra o Sampaio Corrêa teve como surpresa a ausência do volante Robinho. O jogador ficou no banco de reservas para ser poupado, por causa de dores no músculo adutor da coxa e na região do púbis, mas a necessidade da partida fez com que o técnico Oswaldo de Oliveira tivesse que colocá-lo em campo no intervalo.

Robinho entrou e mudou o ritmo da partida. O Palmeiras perdia por 1 a 0, mas conseguiu a virada e goleou o Sampaio Corrêa por 5 a 1, avançando à terceira fase da Copa do Brasil. "O ideal seria que ele (Robinho) não jogasse. Ele não tem uma lesão configurada, mas tem um quadro que exige precaução", explicou Oswaldo.

O treinador não confirmou a escalação do jogador para a partida contra o Joinville, domingo, em Santa Catarina, pelo Campeonato Brasileiro, mas a tendência é que ele atue normalmente.

Robinho admitiu sentir dores e explicou que ficou no banco após uma conversa com a comissão técnica. O jogador ainda fez questão de destacar a qualidade de Zé Roberto e que, assim que entrou em campo, acabou ajudando o experiente companheiro a se destacar no duelo de terça.

"A gente sabe da qualidade dele, mas não sei se ele vai aguentar o jogo inteiro na meia. O Oswaldo vai quebrar a cabeça para montar o time. Ainda tem o Arouca para entrar", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.