Ídolo da torcida, ex-goleiro Harlei é demitido e deixa Goiás após 16 anos

Pressionado pela queda do Goiás para a Série B, o ex-goleiro Harlei teve encerrada nesta quinta-feira uma trajetória de 16 anos com o clube goiano. Ele foi demitido do cargo de diretor de futebol ao falhar em manter o Goiás na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2015 | 12h17

"Após um ano no cargo, Harlei Menezes deixa a gestão de futebol do Goiás. A decisão foi tomada em consenso com o presidente executivo do clube, Dr. Sérgio Rassi", anunciou o clube, em comunicado.

A saída de Harlei já era esperada. No domingo, quando o Goiás teve confirmado seu rebaixamento, o presidente culpara o ex-goleiro pela queda. "A gestão de futebol teve culpa total no rebaixamento. Foi nosso principal problema. Tivemos contratações totalmente equivocadas e trocamos de técnico quase todo dia. Harlei é uma pessoa correta e leal, mas, no meu entender, não goza de simpatia junto ao elenco", afirmara Sérgio Rassi.

Em um ano na função de diretor de futebol, Harlei obteve aproveitamento de 46,8%, com 25 vitórias, 15 empates e 24 derrotas neste ano. E faturou um título: o Campeonato Goiano. O ex-goleiro deixou os gramados em dezembro do ano passado, encerrando uma sequência de 15 temporadas vestindo a camisa da equipe.

Harlei se tornou o jogador que mais disputou jogos pelo Goiás. Foram 834 partidas no total. Logo após abandonar as chuteiras, ele foi alçado à posição de diretor de futebol. "O Goiás Esporte Clube agradece os serviços prestados por Harlei ao clube nestes 16 anos, especialmente em 2015, quando ocupou o cargo de gestor de futebol, e lhe deseja sorte na sua carreira", registrou a diretoria, no comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGoiásHarlei Menezes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.