Ídolo do futebol português, Eusébio morre aos 71 anos

Morte ocorreu após parada cardiorrespiratória, por volta das 4h pelo horário local

Agência Estado

05 Janeiro 2014 | 08h28

LISBOA - Grande craque da história do futebol português, Eusébio morreu na madrugada deste domingo, 5, em Portugal, aos 71 anos. De acordo com a imprensa do país europeu, a causa da morte foi uma parada cardiorrespiratória, por volta das 4h pelo horário local.

"A notícia nos apanhou de surpresa e de forma brutal, inesperada, porque há homens que nunca deviam partir. Morreu Eusébio da Silva Ferreira, referência maior do Sport Lisboa e Benfica e de Portugal", publicou o Benfica, comunicando a morte do jogador, já durante a manhã deste domingo na Europa.

Em 2012, o ex-jogador sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) durante a Eurocopa, na Polônia. Na ocasião, Eusébio ficou quase três semanas internado. Poucos meses antes, ele havia sido hospitalizado devido a uma pneumonia.

Nascido em 1942, na África Oriental Portuguesa, na região hoje conhecida como Moçambique, Eusébio surgiu para o futebol no Sporting Lourenço Marques. Em 1960, chegou ao Benfica, clube no qual atuou por mais de 600 vezes, se tornando o grande nome da história do clube e ídolo maior do futebol português.

Apelidado de "Pantera Negra", aproximou-se da marca de um gol por jogo durante a carreira, a qual encerrou num périplo por clube menores nos Estados Unidos, México, Canadá e Portugal mesmo, entre 1975 e 1980, recusando-se a parar apesar das seguidas operações no joelho esquerdo. Assim, aposentou-se aos 38 anos.

Pela então fraca seleção portuguesa, Eusébio só teve chance de disputar uma Copa do Mundo, em 1966. Na Inglaterra, comandou um time histórico, que eliminou o Brasil e chegou até o terceiro lugar, melhor posição já conquistada por um time português num Mundial. Eusébio foi o artilheiro da competição, com nove gols. O país só voltou a disputar uma Copa em 1986 e, depois, de 2002 para cá. No total, Eusébio disputou 41 gols em 64 jogos.

"De Eusébio vamos recordar o talento, o exemplo e o caráter de um homem que marcou o futebol português e se transformou numa referência do futebol mundial. Vamos recordar a alegria que tinha de viver, a sua simplicidade e frontalidade. A vida de Eusébio é patrimônio de todos aqueles que amam o futebol", exaltou o Benfica.

"A melhor forma de homenagearmos Eusébio é continuarmos a cumprir os seus sonhos e ambições. A memória e o legado de Eusébio ficam entre nós", completa o clube.

Mais conteúdo sobre:
futebolEusébio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.