Phil Noble/Reuters
Phil Noble/Reuters

Ídolo do Liverpool, Kenny Dalglish tem alta e enaltece serviço de saúde britânico

Depois de vencer seis vezes o Campeonato Inglês e três a Liga dos Campeões, escocês agora derrota o coronavírus

Redação, Estadão Conteúdo

12 de abril de 2020 | 10h44

Ídolo do Liverpool, o escocês Kenny Dalglish, que testou positivo para o novo coronavírus, teve alta do hospital em que estava e foi liberado para ir para casa neste domingo. O ex-jogador enalteceu o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) na luta contra a pandemia.

"As pessoas podem pensar que meu nome me deu os melhores cuidados, mas todos os pacientes do NHS recebem os melhores cuidados. Como nação, temos a sorte de tê-los e desejo a todos que trabalhem incansavelmente para ajudar o país a superar essa pandemia", afirmou Dalglish ao jornal The Sunday Post.

Dalglish foi hospitalizado na quarta-feira por causa de uma infecção e passou a ser tratado com antibióticos intravenosos. Submetido a testes, ele foi diagnosticado com a covid-19, mas não apresentou sintomas da doença.

O escocês, que venceu seis títulos do Campeonato Inglês e três da Liga dos Campeões pelo Liverpool, mandou uma mensagem para os torcedores, publicada no site do clube inglês, em que expressa a alegria de voltar para casa e reforça a importância do NHS.

"Estou muito feliz por voltar para casa com a família depois de receber cuidados brilhantes do NHS, que agradecemos agora mais do que nunca. Marina (esposa) e eu gostaríamos de expressar nossa imensa gratidão à equipe médica que cuidou de mim e que continua a tratar inúmeras outras pessoas em todo o país durante um período incrivelmente desafiador", salientou o ex-jogador.

Antes de dar entrada ao hospital, Dalglish estava em quarentena com a sua família. Na mensagem divulgada no site do Liverpool, o ex-jogador pede para que todos permaneçam em casa para evitar o risco de contágio, seguindo as orientações governamentais e de especialistas de saúde, e afirma que vai continuar isolado em sua residência.

"Sei que o sol está brilhando para muitos de vocês, mas peço que fiquem em casa e sigam as diretrizes do governo à risca. Esta é sem dúvida a melhor maneira de cuidarmos um do outro neste momento", recomendou. "Agora, estaremos em total isolamento pelo tempo recomendado, a fim de proteger a vida de outras pessoas".

Até este domingo, a Grã-Bretanha registrou quase 80 mil casos confirmados de covid-19, com mais de 9 mil mortes. Em todo o mundo, mais de 1,7 milhão de pessoas já foram infectadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.