Andrew Couldridge / Reuters
Andrew Couldridge / Reuters

Ídolo do United e técnico de Gales, Giggs é detido por suspeita de agressão à namorada

Federação Galesa de Futebol confirma que está ciente do ocorrido; convocação para amistosos é adiada

Redação, Estadão Conteúdo

03 de novembro de 2020 | 00h09

Ryan Giggs, ídolo do Manchester United e técnico da seleção do País de Gales, foi detido na noite do domingo por suspeita de ter agredido a namorada, Kate Greville. O ex-atleta, que tem 46 anos, foi liberado sob fiança.

Em nota oficial, a polícia de Manchester contou o que aconteceu. "A polícia foi chamada às 10:05 da noite, devido a relatos de uma perturbação. Uma mulher na casa dos 30 anos apresentou algumas lesões superficiais mas não precisou de qualquer tratamento hospitalar e um homem de 46 anos foi detido", diz o documento oficial.

Giggs foi interrogado em uma delegacia em Pendleton, subúrbio de Salford, cidade que fica na região metropolitana de Manchester. Horas depois, ele foi liberado.

A federação galesa de futebol confirmou que já está ciente do ocorrido, mas não afirmou se tomará alguma decisão quanto à continuidade de Giggs no cargo de técnico, caso as agressões sejam confirmadas. O treinador deveria revelar a lista de jogadores que enfrentarão Estados Unidos, Finlândia e Irlanda em amistosos neste mês de novembro nesta terça, mas o anúncio foi cancelado.

Giggs jogou pelo Manchester United entre 1990 e 2014, período em que foi duas vezes campeão da Liga dos Campeões e 13 vezes campeão inglês, entre diversos outros títulos. Desde 2018, é o técnico da seleção galesa, comandando jogadores como Gareth Bale e Aaron Ramsey.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.