Koen Van Weel/EFE
Koen Van Weel/EFE

Ídolo holandês, Cruyff é diagnosticado com câncer no pulmão

Meia era o comandante da 'Laranja Mecânica' de 1974

Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2015 | 10h29

Ídolo holandês e um dos melhores jogadores da história do futebol, Johan Cruyff deixou todos os fãs da modalidade mais preocupados nesta quinta-feira. O ex-jogador de Ajax e Barcelona foi diagnosticado com câncer no pulmão. A informação teria sido passada a ele na última terça-feira.

Quem confirmou o diagnóstico foi a porta-voz do craque, Carol Thate. Ela também admitiu que o holandês foi submetido a exames médicos, que confirmaram a doença, durante a semana. Agora, resta esperar para saber os próximos passos para o tratamento do craque.

O câncer pode ter sido causado pelo cigarro, já que Cruyff era fumante até precisar passar por uma cirurgia de ponte de safena emergencial em 1991, quando era técnico do Barcelona. De lá para cá, inclusive chegou a participar de campanhas contra o tabagismo.

Assim que a notícia foi confirmada, Ajax e Barcelona, clubes pelo qual Cruyff brilhou mais intensamente, manifestaram solidariedade ao craque. Presidente do clube catalão, Josep Maria Bartomeu escreveu em seu Twitter: "Johan, esta partida você também ganhará. Ânimo e muita força em nome de todo o clube".

Já no Ajax, quem falou foi o dirigente e ex-goleiro Edwin van der Sar. "Nós falamos com sua porta-voz, Carol Thate, e ela confirmou que Johan está com câncer no pulmão. Em nome do clube, eu desejo a Johan e a sua família muita força e uma rápida recuperação."

Cruyff foi tricampeão da Liga dos Campeões com o Ajax, além de oito vezes campeão do Campeonato Holandês. Pelo Barcelona, faturou o Espanhol de 1973/1974 e a Copa do Rei de 1977/1978. Foi também o principal nome da seleção holandesa que trouxe para o futebol a "Laranja Mecânica" e se sagrou vice-campeã da Copa do Mundo de 1974, que ficou com a Alemanha.

Como técnico, comandou o Ajax, o Barcelona e a seleção da Catalunha, tendo levado o time espanhol ao seu primeiro título da Liga dos Campeões, em 1991/1992. Estava afastado de qualquer função no futebol desde que deixou o cargo de consultor do Chivas Guadalajara em 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruyffcâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.