Silvia Izquierdo/AP
Silvia Izquierdo/AP

Ídolos temem a força da Argentina na Copa do Mundo de 2014

Em evento de lançamento do tour da taça do Mundial, campeões apontam Messi e cia como grandes adversários

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

13 Setembro 2013 | 07h30

RIO - Em evento de lançamento do tour da taça da Copa do Mundo, que vai percorrer 89 países, cinco campeões do mundo (Zagallo, Amarildo, Rivellino, Bebeto e Marcos) afirmaram nessa quinta no Rio que a Argentina vai ser a grande adversária da seleção dirigida por Luiz Felipe Scolari. O quinteto representava cada uma das edições dos mundiais vencidos pelo Brasil. Eles visitaram o Cristo Redentor, onde posaram para fotos com a taça de seis quilos de ouro maciço. Depois, concederam entrevista num restaurante da zona sul. Zagallo foi o mais enfático.

"O time está crescendo, está mais competitivo. Vamos chegar bem preparados para essa disputa. E é claro que a Argentina, com o Messi em grande fase, vai ser o principal desafio do Brasil na Copa se houver o cruzamento." Bem-humorado, ele citou ainda Alemanha e Espanha como candidatas ao título. Amarildo, sentado ao seu lado, concordou com o veterano campeão. "Se o Messi estiver em 2014 com a forma de hoje, ele vai fazer a diferença. Mas continuo acreditando no Brasil."

Amarildo ganhou o Mundial de 1962 e substituiu Pelé no decorrer da competição. Para ele, a seleção terá em 2014 a oportunidade de apagar a única mancha do futebol brasileiro: vencer em casa e deixar para trás o trauma da derrota para o Uruguai na final de 1950, disputada no Maracanã. Jornalistas estrangeiros convidados pela Coca-Cola, patrocinadora da Copa e organizadora do tour da taça, também quiseram saber a opinião de Bebeto e Rivellino sobre o Mundial de 2014. Um dos nomes mais importantes na conquista de 1970 no México, Rivellino disse que Felipão "deu uma cara à seleção brasileira na Copa das Confederações" e também se mostrou bastante otimista quanto à conquista do título.

Ao ser indagado sobre os principais obstáculos do Brasil na Copa, acompanhou os companheiros. "A Argentina vai ser um problema para o Brasil. O Neymar vai estar no seu melhor momento, mas vai ser a Copa do Messi." Bebeto endossou as palavras. "É uma seleção fortíssima e conta com o melhor do mundo. Além disso, vai jogar ao lado de casa."

Campeão da Copa de 2002, no Japão e Coreia do Sul, o goleiro Marcos defendeu a decisão de Felipão de convocar Julio Cesar para o próximo Mundial, como o técnico já antecipou. Julio é reserva de um clube inglês da Segunda Divisão: o Queens Park Rangers. "Ele conta com a confiança do técnico. Além de ser um grande goleiro, ele é um líder. E isso é muito importante numa seleção jovem. O Felipão acertou", disse Marcos, outro a apontar a Argentina, já classificada para o Mundial, como o adversário mais difícil do Brasil em 2014.

INGRESSOS

O diretor de Marketing da Fifa, Thierry Weil, contou na quinta-feira que já há quatro milhões de solicitações de ingressos para a Copa. "Isso revela o sucesso do Mundial", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.