Ilan faz 3 e Atlético-PR vence Corinthians

A chuva é apenas um dos pretextos que o Corinthians pode usar para justificar a derrota por 3 a 1 para o Atlético-PR, neste domingo, na Arena da Baixada. Mas tem outros. Se Rogério não tivesse perdido o pênalti logo aos 4 minutos ? chutou na trave ?, o jogo seria outro. Se Doni não falhasse no segundo gol ou se Ilan não estivesse numa tarde inspirada, em que tudo dava certo... Desculpas à parte, o técnico Geninho balança ainda mais após a derrota e o time paulista terá a difícil missão de se recuperar em cima do Santos, adversário da próxima rodada, quarta-feira. A chuva começou antes do início da partida. Mas, amena, não prejudicou os primeiros minutos de jogo. O Corinthians partiu logo para cima. Moreno, aos 4, foi derrubado dentro da área. Pênalti batido e desperdiçado por Rogério, que bateu na trave do goleiro Diego. Até os 20 minutos, o Corinthians era melhor e mais incisivo no ataque, quando a chuva, literalmente, serviu como um banho de água fria na equipe. Aos 21, belo contra-ataque do Atlético-PR. Ilan recebeu na entrada da área, passou por Anderson e, mesmo desequilibrado, tocou na saída de Doni: 1 a 0. O campo que já estava ruim, molhado, ficou impraticável. Aos 30, o árbitro Leonardo Gaciba chamou os dois capitães no centro do campo e decidiu paralisar o jogo. ?Vamos ficar 30 minutos nos vestiários para ver se a chuva diminui?, justificou Gaciba. Após 25 minutos, o reinício. Como as poças ainda incomodavam, os corintianos tentavam as bolas alçadas, enquanto o Atlético se valia dos contra-ataques. Foi assim que Ilan fez seu segundo, aos 39. Depois de escanteio da direita, Leomar cabeceou para o gol, Doni não só não segurou como ainda ajeitou para Ilan, sozinho, tocar para o fundo da rede. No segundo tempo, a chuva castigava o gramado e as chances de gol eram poucas. Aos 12, a bola parou umas quatro vezes até chegar ao pé de Leandro, que bateu mal. Aos 13, um bom chute de Gil pelo lado direito. Diego fez bela defesa. Se as coisas já estavam difíceis, a partir dos 18, com a expulsão do lateral-esquerdo Moreno, ficaram piores. O Atlético, mais acertado em campo, passou a dominar o jogo. O balde d?água fria final veio aos 35. Depois de bola rebatida, Ilan dominou na entrada da área, sozinho, e tocou por cima de Doni, de cobertura, um golaço: 3 a 0. Com o gol, Ilan chegou a 13 gols e se isolou na artilharia do Campeonato Brasileiro. Aos 41, Gil ainda descontou, mas ficou nisso. O Atlético-PR foi a 20 pontos e o Corinthians se manteve com 23.CLASSIFICAÇÃO

Agencia Estado,

06 de julho de 2003 | 18h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.