Ilan tem a artilharia como objetivo

Tranqüilo e frio diante dos goleiros adversários, o atacante Ilan tem o mesmo temperamento frente aos repórteres. A artilharia no Campeonato Brasileiro, com 13 gols, o que representa metade dos gols marcados pelo Atlético Paranaense na competição, é encarada de forma natural pelo jogador, que confessa ter traçado esse objetivo. Mas diz que procura renovar suas metas a cada jogo. "Não fico pensando tão longe", afirma. Criticado por alguns cronistas esportivos, primeiro pela sua convocação para a seleção brasileira que disputou a Copa das Confederações e, depois, por suas atuações com a camisa amarela, ele acredita que a atuação de domingo e os três gols que afogaram o Corinthians podem ser encarados como uma resposta. "Se servir de resposta para alguém que assim seja", diz. Mas dá um desconto aos críticos. "Eles ficaram chateados porque queriam que fossem convocados jogadores de São Paulo", desculpa. Com 22 anos de idade, revelado pelo Paraná Clube e com uma breve passagem pelo São Paulo, Ilan acredita que já não tem que provar mais nada para ninguém. E mostra uma confiança grande para quem foi tão criticado e até citado como símbolo da seleção que tropeçou na Copa das Confederações. "Tenho certeza que serei convocado novamente", afirma. "Não vai ficar só na primeira experiência." Marcar três gols em uma mesma partida não é novidade para o jogador, que também fez três na vitória por 4 a 1 sobre o Flamengo. A vitória sobre o Corinthians não melhorou muito a situação do time na tabela de classificação, onde está com 20 pontos, na 17ª colocação, embora com um jogo a menos que os principais concorrentes. Mas pode significar muito na renovação do ânimo dos jogadores, que ainda não venceram fora da Arena da Baixada. "A gente precisava de uma vitória como essa", diz Ilan. "Precisamos agora conseguir vencer fora de casa, só assim chegaremos a uma posição de destaque na tabela." E a primeira oportunidade é quarta-feira à tarde, quando enfrenta o São Caetano, no Estádio Anacleto Campanella. "É preciso que todo mundo ponha um pouco mais de coração."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.