Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

'Imagino entrar na semi ou final e decidir', conta Lucas

Mesmo na reserva, jogador do PSG é ovacionado pelos fãs e sonha em ser protagonista no torneio

PAULO FAVERO - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2013 | 08h06

SALVADOR - Mesmo na reserva da seleção brasileira, Lucas é sempre ovacionado pelos fãs e, se a equipe está tendo dificuldades em determinado momento da partida, a torcida começa a pedir a entrada em campo do jogador do Paris Saint-Germain que foi revelado pelo São Paulo. Nesta entrevista exclusiva, ele fala sobre o carinho da torcida canarinho, sobre seu jeito tímido que contrasta com o de Neymar e Balotelli, elogia o técnico Felipão e confessa que ainda sonha em ser protagonista nesta Copa das Confederações.

ESTADO - Apesar de estar na reserva, você sempre é muito ovacionado nos estádios. Como é ser o xodó da torcida?

LUCAS - Fico feliz com essa carinho, não sabia que era tão conhecido assim em todos os cantos do Brasil. Isso é uma motivação enorme, uma inspiração muito grande, e quando entro em campo eu procuro retribuir esse carinho e fazer o meu melhor para conquistar o meu espaço.

ESTADO - Jogadores como o Neymar e o Balotelli não chamam atenção apenas pelo desempenho em campo, mas também pela vida longe dos gramados. Você já pensou em mudar de estilo e ser mais como eles, ter uma vida de celebridade?

LUCAS - Eu sou assim, é difícil mudar. Conquistei tudo dessa forma e acredito que não tenho motivos para mudar. Sou mais discreto, mais tímido, na minha, e sou feliz assim.

ESTADO - Você espera ter um protagonismo maior na Copa das Confederações?

LUCAS - Eu sempre tenho pensamentos positivos. Imagino entrar numa semifinal, numa final, fazendo um gol, decidindo um jogo, ajudando minha equipe e vencendo. Fico sempre na expectativa. Fico imaginando um lance, um gol que vou fazer, uma jogada, estou sempre ali pronto e preparado para entrar ajudar a minha equipe.

ESTADO - Como é o convívio com o grupo da seleção brasileira?

LUCAS - Muito bacana, o ambiente está muito legal, todo mundo focado, grupo muito unido e que promete muito.

ESTADO - Você agora está tendo um contato mais próximo com o Felipão. Como é essa relação com ele?

LUCAS - Muito boa. Ele é um cara competente, do bem, transparente, honesto, e que está sempre conversando com a gente. Acho que ele tem o grupo do lado dele.

ESTADO - Mesmo saindo do País e indo atuar no futebol francês, você ainda não perdeu o jeito de brasileiro. É bom voltar a atuar em sua casa?

LUCAS - Eu saí do Brasil, mas o Brasil não sai de mim. É meu País, minha pátria, e apesar de todas as dificuldades que a gente tem aqui, a gente nunca esquece e não deixa de amar o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.