Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Impaciente, Muricy Ramalho pede pressa em contrações no Santos

Prioridades estabelecidas pelo técnico são um lateral-esquerdo, um meia-armador e um atacante

SANCHES FILHO, Agência Estado

23 de novembro de 2012 | 20h09

SANTOS - Muricy Ramalho está impaciente em razão da demora na chegada dos reforços qualificados que ele pediu à diretoria. As prioridades estabelecidas pelo treinador são um lateral-esquerdo, um meia-armador e um atacante. A razão de sua ansiedade é que os jogadores que o Santos tenta levar para a Vila Belmiro também interessam a outros clubes e por essa razão estão sendo cada vez mais valorizados.

"São jogadores pesados, mas não impossíveis de trazer. A gente precisa resolver logo porque há outros clubes interessados nos mesmos jogadores e, além disso, daqui a pouco vão começar as férias", afirmou.

O superintendente de esportes Felipe Faro confirma que o Santos vai acelerar as negociações para atender as três prioridades de Muricy, mas não descarta a chegada de mais jogadores. Um deles deve ser o volante Renê Júnior, da Ponte Preta. Ele afirmou que o planejamento está pronto, inclusive a relação dos jogadores que estão fora dos planos da comissão técnica para 2013. Juan, Fucile e Bernardo serão devolvidos, respectivamente ao São Paulo, Porto (Portugal), e Vasco. Outro que não deve ficar é Ewerton Páscoa.

"Não podemos falar de nomes de jogadores que vão sair porque ainda temos dois jogos e há o risco de desestabilizar o grupo", disse Faro. Ele negou que o Santos estaria disposto a investir alto para tirar Barcos do Palmeiras. "Essa especulação surgiu por causa de um brincadeira do presidente em um evento em São Paulo. Foi brincadeira mesmo, tanto que se falou até em Messi", concluiu Faro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.