Eduardo Verdugo/ AP
Eduardo Verdugo/ AP

Impasse sobre contrato coloca em dúvida permanência de Maradona no Gimnasia

Agente do ex-jogador disse que o clube não fez proposta, informação rechaçada pelos dirigentes da equipe

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2020 | 17h49

Um impasse envolvendo o contrato pode encerrar a passagem de Diego Maradona como técnico do Gimnasia y Esgrima, de La Plata. O empresário do ex-jogador afirma que os dirigentes não pretendem renovar o vínculo, informação rechaçada pelo clube, que garante ter ofertado a prorrogação, mas recebeu uma negativa.

"Diego apostou tudo no Gimnasia. Ele não ficou fora de nenhum jogo, mesmo desafiando as recomendações de seus médicos. Hoje aqueles que foram procurá-lo quando tudo estava pegando fogo, não querem renovar. Maradona quer continuar no Gimnasia", escreveu Matias Morla, um dos empresários de Maradona, em seu perfil no Twitter.

O presidente do Gimnasia, Gabriel Pellegrino, nega essa versão, assegurando que gostaria de manter o craque à frente da equipe de La Plata. O dirigente afirma que o impasse é financeiro, pois os empresários de Maradona gostariam que o astro recebesse um aumento salarial. O dirigente alega não ter recursos financeiros para tanto, mas garante que as negociações não estão encerradas.

"Oferecemos o mesmo contrato para Maradona e a resposta foi não. Mantê-lo é um esforço para nós. O problema não é Diego Maradona, são as pessoas que dirigem. Tem um grupo de pessoas que não nos permite falar com ele", afirmou o dirigente à rádio La Redonda.

Maradona assumiu o comando do Gimnasia em setembro de 2019, com o time bastante ameaçado de rebaixamento. Sob o seu comando, o time acumulou seis vitórias, cinco empates e oito derrotas. Em função do encerramento precoce da temporada argentina por causa da pandemia do coronavírus, nenhum time caiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Maradonafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.