Imprensa argentina ameniza eliminação da seleção na Copa

Como não poderia ser diferente, a imprensa da Argentina não fez nenhum ataque à sua seleção após a eliminação na Copa do Mundo da Alemanha. Os "hermanos" foram superados pelos donos da casa por 4 a 2 nos pênaltis - o jogo terminou empatado por 1 a 1 no tempo regulamentar e extra e, com isso, os alemães avançaram às semifinais da competição. O jornal Olé estampou na sua página da internet o seguinte título: "Fora na loteria dos pênaltis". O diário também disse que o juiz eslovaco Lubos Michel "favoreceu os donos da casa ao marcar tudo a favor para eles (alemães). Suas decisões afetaram o resultado final". O texto enaltece a qualidade do time de Jürgen Klinsmann. "A Alemanha era o antepenúltimo obstáculo para o sonho de levantar a taça da Copa do Mundo. Mas enfrentamos um rival com muito peso histórico e que contava com o apoio do público. Esperávamos ansiosamente fazer uma hipotética final com o Brasil".O principal jornal esportivo do país também fez questão de elogiar o espírito de luta dos seus atletas. "O começo (da partida) foi muito quente. Deixando claro que nenhuma das equipes estava disposta a se entregar. A Argentina terminou os 120 minutos (tempo regulamentar e extra) com mais investidas ao gol. Lamentavelmente, o sonho argentino chegou ao fim".Já o diário Clarín foi mais fanático: "Argentina foi melhor, mas ficou fora nos pênaltis". O "La Nación" utilizou a mesma linha ao colocar: "Os pênaltis condenaram a Argentina". "Terminou o sonho da nossa seleção, que estava muito perto da vitória", completou a publicação, resumindo que a "eliminação foi injusta". O corintiano Javier Mascherano foi muito elogiado ao ser comparado a "um verdadeiro leão, que deixou o campo chorando como um menino".O site da AFA (Associação de Futebol Argentino) agradeceu o apoio dos torcedores no Estádio Olímpico de Berlim. Para a federação, os argentinos "ganharam de goleada" neste quesito. "Se há uma tarefa impossível no mundo é silenciar os torcedores argentinos. Se tivesse um torneio de torcidas, iríamos ganhar todos".Apontados como um dos favoritos ao título do Mundial de 2006, os argentinos não conseguem alcançar uma final do torneio há 16 anos, quando foram derrotados na decisão justamente pela Alemanha por 1 a 0, na Copa da Itália (1990).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.