Matthew Childs / Reuters
Matthew Childs / Reuters

Imprensa croata exalta vitória sobre Argentina: 'Fizemos Maradona chorar'

Jornais do país europeu afirmam que vitória será recordada pelas próximas gerações e que Modric foi Messi

Estadão Conteúdo

22 Junho 2018 | 07h50

Os jornais na Croácia exaltaram nesta sexta-feira a vitória por 3 a 0 sobre a Argentina pela segunda rodada do Grupo C da Copa do Mundo. A imprensa local destacou a grande atuação dos atletas, em especial do meia Luka Modric, do Real Madrid.

+ 'Argentina não estava confusa, nós é que fomos excelentes', diz técnico croata

+ Sampaoli defende Caballero e Messi e assume responsabilidade por derrota

+ Em conversa vazada, Simeone vê Argentina perdida na Copa: 'Não há liderança'

Sobrou também para Diego Maradona, que roeu as unhas e não escondeu a tristeza nas tribunas do Nijni Novgorod Stadium. "Maradona com lágrimas - fizemos Diego chorar", destacou o "Sportske Novosti".

O "24sata" manchetou: "O tango ardente: adeus Leo Messi - Croácia destroçou a Argentina em pedaços". O "Jutarnji list" escreveu: "Os croatas afundaram Messi e sua equipe". E o "Novi list" destacou: "Os fantásticos croatas estão nas oitavas de final".

O "Sportske Novosti", principal diário esportivo do país, ainda destacou que "foi uma noite grandiosa, quando Modric foi Messi... Uma vitória magnífica que será recordada pelas próximas gerações".

 

"Um dos melhores jogadores de todos os tempos estava tão decepcionado que sequer cumprimentou os jogadores croatas depois da partida. Abaixou a cabeça e saiu de campo abatido quando o árbitro apitou o fim do jogo", finalizou o diário.

A vitória por 3 a 0 garantiu a Croácia nas oitavas de final da Copa do Mundo. A seleção europeia lidera o Grupo D, com seis pontos. A Argentina tem apenas um. A Islândia enfrenta a Nigéria ainda nesta sexta-feira, às 12h (de Brasília), em Volgogrado. Se vencer, os islandeses somarão quatro pontos e complicarão ainda mais a vida dos argentinos na última rodada.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.