Juan Mabromata / AFP
Juan Mabromata / AFP

Imprensa da Colômbia e até Maradona atacam árbitro após queda na Copa: 'Roubo'

Rádio de Bogotá define Mark Geiger como "o árbitro mais odiado" no país latino-americano

Estadão Conteúdo

04 Julho 2018 | 05h02

A atuação do árbitro norte-americano Mark Geiger na queda da Colômbia na Copa do Mundo, nos pênaltis, diante da Inglaterra, foi bastante criticada pelos jogadores da seleção, mas também pela imprensa nacional e até por Diego Maradona. O juiz teve desempenho polêmico ao marcar um pênalti para o time inglês e tomar decisões controversas no empate por 1 a 1, que durou os 90 minutos e a prorrogação na última terça-feira.

+ Desolado, Mina chora muito com eliminação da Colômbia na Copa

+ Pékerman critica simulações de jogadores ingleses: 'Tem muita confusão'

O atacante Falcao García, o zagueiro Yerry Mina e o técnico José Pékerman reclamaram bastante de Geiger e chegaram a classificar como "vergonhoso" seu desempenho. Em seu programa de tevê na Telesur, da Venezuela, Maradona chamou de "roubo monumental" o que aconteceu no gramado em Moscou.

"Hoje, vi um roubo monumental em campo. Peço desculpas a todo o povo colombiano, mas os jogadores não têm culpa. Este juiz não pode dirigir uma partida da magnitude da que jogava o povo colombiano nestas oitavas de final", afirmou.

A Rádio Caracol, da Colômbia, chamou Geiger de "o árbitro mais odiado da Colômbia", enquanto o jornal El Colombiano foi mais cometido ao classificá-lo apenas como "polêmico". A atuação do norte-americano também foi criticada pelos jornais El Heraldo e La República.

 

Todos os veículos de comunicação, no entanto, foram unânimes em enaltecer a atuação da seleção nacional. Este sentimento foi traduzido em um artigo do El Colombiano, que cravou: "Nada a reprovar, deixaram a pele e a alma". O ex-jogador Valderrama seguiu a mesma linha e opinou: "Penso que todo o povo está orgulhoso da seleção".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.