Imprensa europeia encara com surpresa vitória dos EUA

LONDRES - A imprensa esportiva europeia usou nesta quinta-feira a palavra "surpresa" para falar da vitória dos Estados Unidos sobre a Espanha, seleção que lidera o ranking da Fifa e que ficou de fora da final da Copa das Confederações da África do Sul.

EFE

25 de junho de 2009 | 10h09

Veja também:

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Em Portugal, o jornal A Bola destaca que "contra todas as previsões" a Espanha foi eliminada e o diário Record assinala que os EUA "surpreenderam" a seleção espanhola.

O jornal digital Mais futebol, também português, diz que "o sonho americano" se tornou "o pesadelo" da Espanha.

No Reino Unido, as páginas esportivas dos diários The Times e Daily Mail também falam da "surpreendente derrota" da Espanha, que o jornal The Independent não hesita em qualificar como "o maior golpe" na história recente do futebol internacional.

Na França, o L'Equipe usa o título "O sonho americano" para descrever a vitória dos EUA e elogia a decisão do técnico Bob Bradley de escalar o time de forma ofensiva. O diário Le Figaro prefere ressaltar que "não é um drama" a eliminação da Espanha e que "não se deve entender isso como o fim de um ciclo".

A edição digital do diário alemão Süedeutsche Zeitung, de Munique, usa a manchete "EUA rompem o feitiço da Espanha", enquanto o Bild conta que com "um grande rendimento defensivo", os americanos ganharam da Espanha e estão na final da Copa das Confederações.

O Frankfurter Allgemeine Zeitung usou a ironia quando falou que "Um país em desenvolvimento parou a equipe dos recordes". Para esse jornal, a seleção americana foi a primeira que durante o torneio realmente testou a Espanha, que terminou mostrando algumas fragilidades.

Na Itália, o diário esportivo La Gazzetta dello Sport também fala em surpresa e destaca que a Espanha caiu "dramaticamente" e que "não foi só Itália que aprendeu a lição na Copa das Confederações". Também fala de "lição" o Corriere dello Sport, que em sua capa diz: "Clamoroso, os EUA eliminam a Espanha!".

Na própria Espanha, a imprensa esportiva qualificou a eliminação com termos como "falta de humildade" e "surpresa", enquanto atribuiu os dois gols americanos a claros "erros defensivos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.