Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Imprensa internacional comenta demissão de Felipão do Palmeiras

Saída do técnico, famoso por treinar as seleções brasileira e portuguesa, repercutiu até na Rússia

estadão.com.br,

14 de setembro de 2012 | 10h41

SÃO PAULO - A queda de Felipão no comando do Palmeiras nesta quinta-feira, 13, foi um dos assuntos mais falados pela imprensa nacional. Depois de mais um resultado negativo no Brasileirão, com uma derrota para o Vasco por 3 a 1, o que fez o clube terminar a rodada na vice-lanterna, não houve chance para Luiz Felipe Scolari. A demissão do ex-técnico da seleção brasileira repercutiu no mundo todo.

 

Na Inglaterra, onde Felipão treinou uma das maiores equipes do país, o Chelsea, o The Guardian destaca os seguidos maus resultados dos últimos meses. O diário também aponta o técnico como um dos favoritos a assumir a seleção brasileira no lugar do Mano Menezes, que "falhou em conquistar a imaginação do público".

 

O espanhol Marca também comentou o assunto, dizendo que Felipão saiu de "comum acordo", mas pela "porta dos fundos". Em Portugal, que teve sua seleção treinada pelo brasileiro, o jornal Record aponta Emerson Leão, do São Caetano, e Jorginho, do Bahia, como candidatos à sucessão no comando do Palmeiras. Leão também é citado como favorito ao posto pelo colunista italiano Valerio Clari, que escreve para a Gazzetta Dello Sport.

 

No Otz, da Alemanha, a decadência do time tão pouco tempo depois da conquista da Copa do Brasil é evidenciada. A publicação ressalta ainda o contrato milionário assinado por Felipão com o Palmeiras, que recebia salário em torno de R$700 mil reais.

 

A demissão de Luiz Felipe Scolari foi comentada inclusive na Rússia, em que o portal Gazeta relembra o primeiro título nacional desde 1999 e que o clube declarou, em comunicado oficial, a importância do técnico para a história do Palmeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
Luiz Felipe ScolariFelipãoPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.