Alessandro Garofalo/Reuters
Alessandro Garofalo/Reuters

Imprensa italiana apenas aguarda anúncio da venda do Milan

Brasileiro pode assumir clube como um dos diretores

O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2015 | 13h53

Esta quinta-feira pode ser um dos dias mais importantes da história de um dos clubes mais tradicionais do futebol mundial: o Milan. Na Itália, a imprensa já dá o clube como praticamente vendido para o magnata tailandês Bee Taechauboli e uma reunião nesta noite com Silvio Berlusconi pode confirmar o negócio. Segundo a Gazzetta dello Sport, a oferta apresentada ontem ao dirigente italiano é de 500 milhões de euros para adquirir 60% do clube.

O tailandês continua em Milão, o que reforça os boatos sobre uma nova reunião e o fechamento do acordo. Um novo encontro, mais breve do que a da noite de ontem, era esperado para esta tarde, mas o magnata apenas fez um passeio pela cidade de Milão, despistando sobre o negócio. O mesmo jornal italiano garante que a reunião foi apenas adiantada, e que a venda do Milan pode ser anunciada ainda hoje.

A Gazetta dello Sport 'crava' que as duas partes estão otimistas com um acordo. No caso, Silvio Berlusconi ficaria com 40% das ações, mas continuaria como presidente do clube. O dono majoritário passaria a ser Bee Taechauboli. O fundo Doyen Sports Investment também pode fazer parte dos planos futuros do futebol do Milan, trazendo um treinador e jogadores de sua preferência.

Vale lembrar que o presidente do fundo é um brasileiro e amigo pessoal do magnata tailandês: Nélio Lucas, que também está em Milão. Mais um indício de que o clube deve mesmo ser vendido é o de que Lucas pediu a seu assessor uma transferência imediata de Londres para Milão nesta quinta-feira. Caso o negócio seja confirmado, o Milan deverá ser mais um dos 'milionários' do futebol europeu, a exemplos de Chelsea, Paris Saint-Germain e Monaco.

Esta quinta-feira é considerada 'derradeira' para a equipe de Milão também por conta de outro motivo: o treinador Filippo Inzaghi também pode estar de saída do clube. Após a derrota vexatória para o Genoa, pela última rodada do Campeonato Italiano, por 3 a 1, em casa, o treinador se encontra na corda-bamba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.