Imprensa mexicana exalta "honra" e se despede de Lavolpe

A imprensa mexicana exaltou neste domingo a "honra" demonstrada por sua seleção diante da derrota por 2 a 1 para a Argentina, neste sábado, em Leipzig, lamentou a quarta eliminação seguida nas oitavas-de-final e se despediu do técnico Ricardo Lavolpe, que comanda a seleção do México desde 2003 e não deixou oficialmente o cargo."Só a jogada mais bela e dolorosa da Copa pôde com o espírito verde", escreveu o diário El Universal, em referencia ao segundo gol argentino, um chute de Maxi Rodríguez de fora da área no primeiro tempo da prorrogação. "A história do México foi escrita com honra", estampou o Esto, que recordou o fim do sonho "pela quinta partida".Já o Récord foi mais direto: "Adeus ao Mundial, às quartas-de-final, ao milagre e a Lavolpe", escreveu. "Deus e todos os santos tem coisas mais importantes a fazer do que levar o México às quartas-de-final." O presidente Vicente Fox, que recebeu a visita da equipe antes do embarque para a Copa, disse por meio de seu porta-voz que estava "orgulhoso" da equipe. "A derrota foi circunstancial. O México merecia a vitória", afirmou o presidente.Lavolpe disse, após a partida, que caberia aos dirigentes decidir por sua continuidade à frente da seleção. Argentino de nascimento, Lavolpe está radicado no México desde a década de 1980 e já treinou vários clubes do país. Assumiu a Tri, como é chamada a seleção, em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.