Imprensa mundial volta a atacar o Brasil após nova decepção

Assim como na partida de estréia, a imprensa mundial não gostou do que viu e voltou a criticar o desempenho do Brasil na vitória sobre a Austrália por 2 a 0, neste domingo. O resultado deu ao selecionado de Carlos Alberto Parreira a classificação antecipada à segunda fase da Copa do Mundo da Alemanha.Ainda muito empolgado com o "sacode" imposto pela Argentina sobre a Sérvia e Montenegro - goleada por 6 a 0 -, o portenho Olé estampou: ?Ainda queremos ver os penta (campeões)?, cobrava a edição eletrônica. ?Como aconteceu contra a Croácia, a equipe de Parreira não brilhou, mas foi mais eficiente no ataque?, disse o La Nación, também de Buenos Aires, que apenas dedicou elogios a Robinho. ?Sua atuação nos poucos minutos em que esteve em campo tornou ainda menor a participação de Ronaldo?, destacou.Para o também argentino Clarín, o quadrado mágico mais uma vez não funcionou, mas ressaltou que o resultado foi suficiente para assegurar a passagem do Brasil para as oitavas. "Os dirigidos por Parreira passaram por vários sustos na defesa e os de Hiddink (treinador da Austrália) tiveram muitas chances de empatar".Na Itália, o Corriere della Sera destacou: ?Brilho de papai Adriano e o Brasil passa (às oitavas).? Segundo o jornal, ?o Brasil consegue antecipadamente o bilhete da classificação com outra vitória que não satisfez os paladares mais refinados?. O La Stampa ressaltou que ?Ronaldo continua a ser uma sombra de si mesmo?. "Brasil sofre, mas vai às oitavas", manchetou a Gazzetta dello Sport.El Pais, da Espanha, diz que ?o Brasil ainda não arrancou?. ?Sempre se espera um pouco mais de futebol dos melhores jogadores do mundo?. Já o Marca voltou a se referir a campanha publicitária envolvendo diversos atletas brasileiros e relatou: "Brasil aposta no ´jogo´ efetivo".O francês L?Equipe afirmou que ?o Brasil sofreu, mas se classificou?. ?Dois jogos, seis pontos?, resumiu o britânico The Times, para quem ?o Brasil se classificou mesmo sem alcançar o padrão de seu futebol?. Nos EUA, o The New York Times, colocou "Brasil não deixa ninguém tonto, mas faz o seu trabalho". O australiano The Age enalteceu o desempenho da seleção local. ?A Austrália mostrou que pode competir como um verdadeiro candidato?. O inglês The Guardian ressaltou o papel de Adriano, autor do primeiro gol brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.