Divulgação
Divulgação

'Inauguração' do Beira-Rio será em abril e terá Peñarol

Evento realizado em Porto Alegre promove a reabertura do estádio do Internacional

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2013 | 13h09

PORTO ALEGRE - O Internacional promoveu grande evento nesta terça-feira para apresentar detalhes da festa de inauguração do Beira-Rio. Sem conseguir convencer nenhum clube europeu a vir ao Brasil em meio à temporada, os gaúchos irão enfrentar o Peñarol, do Uruguai, no dia 6 de abril. Mas as festividades, segundo informou a diretoria, terão oito eventos nos próximos seis meses. O evento desta terça-feira teve de tudo. Começou com apresentação do diretor artístico Edson Erdmann, que explicou detalhes da festa de abertura que promete se assemelhar a eventos como Copa do Mundo e Olimpíada. Em seguida, os convidados mudaram de sala, onde foi apresentada uma "cápsula do tempo", onde os torcedores poderão colocar suas histórias.

Só na terceira parte do evento, depois de mais de uma hora, é que começou a entrevista coletiva. Preocupada em promover a festa - que será toda ela bancada por uma empresa privada -, a diretoria, representada na coletiva pelo secretário-geral Gelson Pires, se esquivou de responder a duas perguntas sobre se o estádio será utilizado em outras partidas antes da festa de inauguração. "Temos compromissos com a Fifa, mas é lógico que se nos classificarmos para a Libertadores não vamos jogar em Caxias do Sul", se limitou a dizer Pires. O primeiro evento relacionado à reabertura do Beira-Rio será uma corrida de rua, em dezembro. No mesmo mês haverá o "Dia do Torcedor Colorado" e os consulados no interior serão convidados a organizar eventos. No verão, quatro cidades do litoral do Rio Grande do Sul receberão o "Projeto Gigantes no Litoral". A reinauguração em si será num domingo, 6 de abril.

Dois dias antes, na sexta, será realizado um jantar comemorativo em alusão ao aniversário do Inter. No sábado, a festa de inauguração deverá contar com artistas nacionais e internacionais. Nenhum nome, porém, já foi revelado. "Mas teremos um coral de 200 pessoas e uma orquestra de 150 instrumentos", avisou Erdmann. A escolha pelo Peñarol, além de todo o problema por falta de adversários europeus, se deu porque foi o clube uruguaio também o rival na inauguração do estádio, em 1969. Boca Juniors e River Plate também foram cogitados, mas ambos têm compromissos na Argentina. Outros times brasileiros de expressão jogam seus estaduais. Durante toda a coletiva, o Inter fez questão de cobrar a presença do torcedor nos eventos. Os preços, porém, são salgados. Para a festa, chamada "Os protagonistas", o sócio paga R$ numa cadeira superior (arquibancada). Para o jogo contra o Peñarol, a mesma entrada custa R$ 130 para o sócio. O público comum paga sempre o dobro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterBeira-RioCopa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.