Índios chamam a atenção de torcedores brasileiros no Rio

Além da presença dos índios caracterizados, a Fan Fest carioca também recebeu um pequeno grupo de torcedores camaroneses

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2014 | 16h08

Um casal de índios virou sensação de turistas na entrada do Fifa Fan Fest da praia de Copacabana. Com o corpo pintado e trajes indígenas, eles posavam para fotos sem parar. Akazui (Raimundo) e Sãmehy (Maria) vieram da aldeia Tabajara, no Ceará.

"Sou atleta e sempre corro maratonas caracterizado. Viajo o Brasil todo assim. O índio torce mais pelo Brasil, pois é o brasileiro mais puro que existe. Na aldeia tem computador e televisão, mas prefiro ver aqui no telão", ele justificou sua presença.

Em meio às dez mil pessoas que estão no Fifa Fan Fest da praia de Copacabana à espera do jogo do Brasil, um pequeno grupo de torcedores de Camarões se destaca no mar de camisas amarelas. 

A engenheira Lauren Kamga, de 26 anos, é das mais animadas. "Não tenho medo por sermos poucos. Mesmo perdendo, sou Camarões até o fim. No meu país, somos todos loucos pela nossa seleção". 

Há três anos morando em Dubai, onde trabalha numa empresa de catering, Mbeme Franklin, de 34 anos, diz que seu "coração é cada vez mais vermelho, amarelo e verde". "Somos uma minoria barulhenta. Nosso time é um tesouro nacional. Só está precisando de jogadores mais jovens".

Africanos de outros países, como África do Sul, Gana e Serra Leoa, também vestem as cores camaronesas no Fan Fest. "Apoio todos os times africanos. Na África do Sul não somos bons no futebol, só participamos da última Copa porque era lá mesmo", brincou o estudante Andrew Forsythe, de 23 anos, que veio de Cape Town com um amigo porque ganhou a viagem numa promoção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.