Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

Inglaterra critica escolha de sedes para Copas

Para Andy Anson, país não deveria se candidatar novamente enquanto a Fifa não promover mudanças nos critérios

AE-AP, Agência Estado

03 de dezembro de 2010 | 10h23

O principal dirigente da derrotada candidatura inglesa para a Copa do Mundo de 2018, Andy Anson, criticou nesta sexta-feira o processo de escolha para as sedes dos Mundiais. Insatisfeito com a vitória de Rússia e Catar, Anson comentou ainda que Inglaterra e Estados Unidos não deveriam se candidatar novamente enquanto a Fifa não promover mudanças nos critérios.

Veja também:

linkRússia vai sediar Copa do Mundo de 2018 e Catar recebe Mundial de 2022

O processo de escolha dos países-sede contou com uma série de polêmicas, como uma suposta troca de votos de Espanha/Portugal com o Catar e a suspensão de dois membros do Comitê Executivo da Fifa, Reynald Temarii e Amos Adami, acusados de negociarem os seus votos.

"É muito difícil para o estômago digerir esta derrota", atacou Andy Anson nesta sexta-feira. Para ele, as candidaturas inglesa, norte-americana e australiana foram um exemplo de ética e transparência, o que deveria ser levado em conta pela Fifa. "Precisamos fazer as coisas de uma maneira correta, ética. As três candidaturas deixarão a disputa com a cabeça erguida".

Anson comentou ainda que receber as melhores avaliações técnicas e econômicas por parte da Fifa não serviu em "absolutamente nada" para a Inglaterra. Mas apesar das duras críticas, ele fez uma ponderação e garantiu que Rússia e Catar eram "concorrentes extraordinários".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do MundoFifaInglaterra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.