Anthony Devlin/AFP
Anthony Devlin/AFP

Inglaterra fechará janela de transferências antes do início da 1ª divisão

Proibição anunciada pela Premier League visa evitar casos de jogadores trocando de time após as primeiras rodadas e vale para o início da temporada 2018/2019

Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2017 | 11h59

Os clubes que jogam na primeira divisão do Campeonato Inglês não poderão mais contratar jogadores nas semanas seguintes ao início da competição. A proibição foi anunciada nesta quinta-feira pela Premier League, responsável pela organização do torneio nacional, e passará a ter validade a partir do começo da próxima temporada. A decisão recebeu o apoio das equipes que disputam a competição.

A nova determinação definiu que os clubes só poderão contratar jogadores até as 17 horas (locais) de 9 de agosto de 2018, a quinta-feira que antecede o fim de semana de início da próxima edição do Campeonato Inglês. E a decisão não interfere na próxima janela de transferências, que será aberta em janeiro, durando todo o mês.

Além disso, a decisão ainda permite que os clubes do Campeonato Inglês vendam e emprestem jogadores para clubes de outras ligas nacionais onde a janela de transferências permanecer aberta. A determinação vale apenas para a elite do futebol inglês. Porém, a Football League, responsável pela organização das divisões inferiores do país, marcou uma reunião para 21 de setembro com a intenção de discutir o assunto.

Nesta temporada, a janela de transferências fechou em 31 de agosto, enquanto o torneio nacional se iniciou 20 dias antes. Assim, Alex Oxlade-Chamberlain jogou pelo Arsenal na derrota por 4 a 0 para o Liverpool, em duelo válido pela terceira rodada do Campeonato Inglês, em 27 de agosto. Logo depois, no dia 31, no último dia da janela de transferências, deixou o clube londrino e foi adquirido exatamente pelo Liverpool. Agora a Premier League determinou que isso não poderá mais ocorrer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.