Inglaterra responde a Lehmann e promete não amarelar

O técnico da Inglaterra, Sven-Goran Eriksson, rebateu as críticas do goleiro alemão Jens Lehmann, que atua no Arsenal, e disse que os ingleses não têm garra como os alemães para vencer uma Copa do Mundo. ?É bom que eles continuem pensando assim. Vamos ver o que acontecerá?, disparaou o treinador.A seleção inglesa, no entanto, carrega uma responsabilidade enorme. O time é considerado o melhor desde o de 1966, que conquistou a Copa jogada em casa. À otimista torcida juntou-se até a Rainha Elizabeth II, que escreveu nesta sexta-feira uma carta para a equipe, a ser entregue pessoalmente pelo Príncipe William - dias depois de visitar o treino da seleção, ele acompanhará o jogo na tribuna de honra do estádio de Frankfurt.?Ao longo dos anos, a Copa do Mundo tem despertado os valores do esporte em nível global, e esses valores são uma fonte de inspiração para todos nós. Desejo a todos vocês muita sorte neste Mundial?, diz um trecho da carta enviada pela rainha.?Numa competição curta como esta, é muito importante estrear vencendo para ganhar moral. É hora de mostrarmos que estamos aqui para ir longe, e não só para participar?, disse o meia Steven Gerrard, que passou a semana se queixando de fortes dores lombares, mas garantiu presença na estréia, neste sábado, contra o Paraguai.Ele chegou a temer por sua participação no jogo, mas a vontade de recuperar o tempo perdido - ele não jogou a Copa de 2002 por causa de uma lesão - deve levá-lo a campo, um dia depois de treinar normalmente. ?Gerrard jogará, a não ser que volte a sentir dores durante a noite?, disse Eriksson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.