Inglaterra vence, avança e elimina a Eslovênia

Apontada como uma das favoritas ao título da Copa do Mundo, a Inglaterra cumpriu a obrigação de evitar um vexame e se classificou às oitavas de final ao derrotar a Eslovênia por 1 a 0, em partida disputada no Estádio Nelson Mandela Bay, na cidade de Port Elizabeth, e válida pela terceira rodada do Grupo C.

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 13h04

A Inglaterra, que conta com os astros Rooney, Lampard e Rooney, se classificou em segundo lugar na chave, com cinco pontos, atrás dos Estados Unidos, que avançaram com seis. Derrotada, a Eslovênia terminou a sua participação no Grupo C com quatro pontos. E a Argélia, com apenas dois, também foi eliminada. Com isso, os ingleses agora esperam pela definição do líder do Grupo D, fato que acontecerá ainda nesta quarta, para saber qual será seu próximo rival.

A classificação da Inglaterra aconteceu com uma campanha semelhante à da primeira fase do Mundial de 1990, na Itália, quando a equipe foi às semifinais. Naquela oportunidade, a equipe empatou com Irlanda (1 a 1) e Holanda (0 a 0) e venceu o Egito (1 a 0).

Os últimos dias foram marcados por um desentendimento entre o técnico Fabio Capello e o zagueiro John Terry. E o treinador decidiu apostar em Milner no meio-de-campo, no lugar de Lennon, e em Defoe no ataque, pela primeira vez como titular nesta Copa do Mundo, sacando Heskey, o que deixou os ingleses sem um centroavante de referência. Na zaga, com Carragher suspenso e King machucado, o treinador escalou Upson ao lado de Terry.

Mesmo sem uma atuação brilhante, a Inglaterra teve o domínio do confronto contra a Eslovênia, com uma apresentação superior à dos empates com Estados Unidos e Argélia. E a evolução da equipe aconteceu pela maior vontade apresentada pelos seus astros e também pelas boas atuações de Milner e Defoe. Já a Eslovênia fracassou e praticamente não ameaçou a meta defendida por James ao errar muitos passes.

O JOGO - A seleção inglesa começou a partida com mais iniciativa, marcando a saída de bola da Eslovênia e trocando passes no setor ofensivo, mas sem conseguir criar chances de gol. Já os eslovenos tratavam de apostar nos contra-ataques e nos avanços do lateral-esquerdo Jokic. A marcação das duas equipes prevalecia e assim o começo do jogo teve poucas oportunidades de gol.

A Eslovênia abusava dos erros de passes, mas até ameaçava a meta inglesa quando avançava, já que tinha espaços para atacar. E a Inglaterra conseguia ser perigosa principalmente quando as jogadas envolviam principalmente Milner e Defoe, que foram reservas no último jogo. Assim, aos 23 minutos, os ingleses abriram o placar. Milner avançou pela direita e cruzou para Defoe, que se antecipou ao zagueiro e finalizou. O goleiro Handanovic tentou fazer a defesa, mas não teve sucesso.

Este foi o 12º gol de Defoe pela seleção da Inglaterra. Curiosamente, seu último gol havia sido marcado em amistoso contra a Eslovênia, disputado em setembro de 2009 e vencido pela sua equipe por 2 a 1.

A Inglaterra voltou a ameaçar em jogada parecida com a do gol. Aos 26 minutos, Milner cruzou para Defoe. Handanovic socou a bola para o meio da área. Lampard pegou o rebote e chutou por cima do gol.

Marcando forte e trocando passes em velocidade, a Inglaterra passou a ter o total domínio do jogo e teve outra boa oportunidade aos 30 minutos. Defoe recebeu de Gerrard na meia-lua e bateu de direita. Handanovic espalmou e Gerrard tocou de cabeça para Rooney, que devolveu para o meio-campista. O jogador do Liverpool finalizou no canto esquerdo da meta, o goleiro quase deixou a bola escapar, mas fez a defesa.

Em desvantagem, a Eslovênia tentou ir ao ataque, mas não criava boas jogadas ofensivas, já que errava muitos passes. Além disso, deixava espaços para a Inglaterra, que concentrava as suas jogadas pela direita com Johnson e Milner, mas passou a atuar mais recuada, evitando se arriscar em demasia diante da vantagem conquistada.

A Inglaterra quase ampliou a sua vantagem logo no primeiro minuto do segundo tempo. Rooney cobrou escanteio e Handanovic afastou. Defoe recebeu livre e desviou na saída do goleiro, mas para fora. Após o susto, a Eslovênia tentou atacar, mas enfrentava dificuldades, já que concentrava as suas jogadas no meio e em lançamentos longos. A equipe também deixava espaços para os ataques ingleses.

Aos 12 minutos, a Inglaterra chegou com perigo. Gerrard cobrou escanteio, Terry cabeceou forte e o goleiro Handanovic fez grande defesa. Sem marcar há sete jogos na seleção da Inglaterra, Rooney desperdiçou boa oportunidade. Livre, ele foi lançado na esquerda da área eslovena. Ele chutou forte e acertou a trave direita do gol defendido pelo goleiro esloveno.

Apesar do domínio da Inglaterra, a Eslovênia, que não conseguia avançar em velocidade, quase chegou ao gol de empate aos 23 minutos. Após cruzamento da esquerda, Novakovic e Birsa tentaram finalizações, mas foram travados pela defesa inglesa. Depois, a bola sobrou para Dedic, que finalizou para fora.

Apesar da superioridade, a Inglaterra não conseguia aproveitar os contra-ataques e Capello decidiu sacar Rooney para a entrada de Joe Cole. Com a troca, a seleção inglesa passou a controlar mais a posse de bola, mas, tensa, chegou a levar alguns sustos, mesmo sem a Eslovênia conseguir criar chances efetivas de gol.

FICHA TÉCNICA:

Eslovênia 0 x 1 Inglaterra

Eslovênia - Handanovic; Brecko, Suler, Cesar e Jokic; Kirm (Matavz), Radosavljevic, Koren e Birsa; Ljubijankic (Dedic) e Novakovic. Técnico: Matjaz Kek.

Inglaterra - James; Johnson, Upson, Terry e Ashley Cole; Barry, Lampard, Milner e Gerrard; Rooney (Joe Cole) e Defoe (Heskey). Técnico: Fábio Capello.

Gol - Defoe, aos 23 minutos do primeiro tempo.

Árbitro - Wolfgang Stark (Alemanha).

Cartões amarelos - Jokic, Dedic e Birsa (Eslovênia); Johnson (Inglaterra)

Local - Estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth (África do Sul).

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolInglaterraEslovênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.