Ingleses investigam venda de Kleberson

O empresário Juan Figer reclama a falta de recebimento da comissão a que teria direito pela negociação do ex-meia do Atlético-PR Kleberson com o Manchester United, em agosto de 2003, por 8,7 milhões de euros. O procurador diz ter intermediado a transação, mas não teria sido reconhecido pela cúpula do clube inglês. "Outras pessoas se colocaram como intermediárias da negociação, quando o intermediário fui eu", declarou Figer para a Agência Estado, por meio de sua assessoria de Imprensa. Figer é procurador de Kleberson. A Associação de Futebol da Inglaterra vai investigar o caso. O jornal inglês News of the World publicou reportagem abordando o tema, causando repercussão no país. De acordo com o periódico, o Manchester poderia estar favorecendo empresários. O presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, disse ter recebido, no meio do ano passado, ligação de Peter Kenyon, diretor do Manchester, por meio da qual anunciou o interesse pela contratação de Kleberson. "Ele me pediu para negociar com dois agentes selecionados pelo Manchester", contou Petragli.Os ingleses teriam excluído Figer do contrato, mesmo sendo o agente do jogador. "Cuidei de toda a transação e não recebi nada." Figer descartou ação judicial contra o Manchester. "Estou aguardando posição do Kleberson e do Atlético-PR." Dois agentes foram colocados no documento da negociação como intermediários. Um deles é o português Jorge Gama. Adrian Bevington, assessor da FA, afirmou ao News of the World que, se houver evidências de irregularidades, vai iniciar investigação. O Manchester disse que o clube está disposto a cooperar. A entidade já abriu inquérito para apurar a transferência do goleiro Tim Howard, ex-Metro Stars, com base em documentos publicados pelo Sunday Times. Há suspeitas de violação das regras da FA sobre os pagamentos aos agentes Fifa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.