Ingressos podem causar problemas

Os torcedores de Corinthians e Santos devem sofrer muito, no domingo - mas antes do clássico que vai apontar um finalista do Campeonato Paulista. A venda de ingressos e a distribuição de lugares provocam confusão e ansiedade. Para complicar, um lote de bilhetes foi roubado no Pacaembu, na tarde de ontem. Ainda há o risco de serem repassadas, por cambistas entradas que sobraram do jogo anterior, que terminou com o empate de 1 a 1.O grande mico está nos ingressos. A procura tem sido mais intensa do que na semana passada e resta pequena quantidade disponível para venda. O único ponto oficial que ainda dispunha de alguns, no final da tarde de hoje, era o da Rua Turiassu, número 1.350, na Zona Oeste, perto da sede do Palmeiras. São entradas do setor vermelho das arquibancadas - também reservado aos corintianos.O risco maior fica por conta das sobras de domingo e do suposto desaparecimento de 5 mil entradas para este fim de semana. A FPF teme que muitos cambistas revendam entradas cuja validade caducaram - e por isso serão rejeitadas pelas catracas do Estádio do Morumbi. A orientação básica e sensata é para que os torcedores evitem comprar ingressos fora dos pontos de venda autorizados. A identificação não é das mais complicadas: os bilhetes do segundo confronto trazem o nome do Santos à esquerda, já que tem o mando de jogo.A dúvida fica por conta das entradas roubadas. A FPF procurou o 23º Distrito Policial, em Perdizes, para denunciar o desaparecimento de R$ 60 mil, levados de uma das bilheterias do Estádio do Pacaembu. Mas não há referência aos 5 mil ingressos que também foram levados pelos bandidos.Esse é mais um motivo para que a FPF tenha sugerido que os torcedores não recorram aos cambistas, porque os ingressos surrupiados também serão bloqueados pelas catracas eletrônicas. Mas não foi possível identificar o lote desaparecido. As informações a respeito disso concentram-se no presidente da entidade, Eduardo José Farah, procurado pela Agência Estado, mas sem dar retorno até o início da noite.A PM também ainda não recebeu orientação a respeito da forma como deve agir diante de eventuais reclamações de consumidores lesados, porque não recebeu denúncia da FPF. "Não nos foi comunicado nenhum roubo", afirmou o coronel Jorge Augusto Rego, comandante do 2º Batalhão de Choque, responsável pela segurança nos estádios.Protesto - Reclamações não faltam, mesmo para quem já tem ingresso. A insatisfação maior é dos santistas. A FPF confinou os torcedores da Baixada ao setor laranja - depois abriu espaço em parte do azul. O número de ingressos, ainda assim, é bem inferior àquele destinado aos corintianos. A previsão de integrantes de uniformizadas é de que, na entrada, a bagunça vai rolar solta.A PM tenta antecipar-se ao problema e arma esquema de emergência. Haverá triagem nas rampas de acesso aos portões 5 e 6. Nesse ponto, a tentativa será a de separar torcedores rivais. A segunda etapa da "seleção" ocorrerá nos corredores, já dentro do estádio: os corintianos ficarão à esquerda, enquanto os santistas irão para o outro lado. A operação total vai contar com 560 homens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.