Francisco Leong/AFP
Francisco Leong/AFP

Iniesta confirma adeus à seleção e evita criticar Hierro por abrir jogo no banco

Meio-campista se aposenta da equipe espanhola após eliminação nas oitavas de final

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2018 | 15h46

O meia Andrés Iniesta confirmou sua despedida da seleção espanhola após a eliminação diante da Rússia, neste domingo, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Ele entrou no segundo tempo e converteu seu pênalti na decisão, que terminou com vitória por 4 a 3 para os russos após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, em Moscou.

+ Confira os jogos e horários das oitavas e das fases seguintes da Copa

+ Akinfeev evita rótulo de herói após pegar dois pênaltis e Rússia eliminar Espanha

"É uma realidade que é a minha última partida na seleção. Do ponto de vista individual é o fim de uma passagem maravilhosa. Às vezes, o final não acontece como a gente imagina", afirmou o jogador de 34 anos.

De maneira surpreendente, o meio-campista começou a partida no banco de reservas e entrou na sua equipe apenas no segundo tempo. Ele afirmou que estava em boas condições físicas, mas que respeita a decisão do técnico Fernando Hierro. "O treinador tinha uma estratégia e temos que respeitar. Fizemos uma boa partida", disse.

 

Iniesta foi responsável por uma das grandes chances da Espanha com um chute rasteiro que exigiu grande defesa de Akinfeev. "Tentamos tudo e nada deu certo. Dominamos a partida, mas a Rússia ficou muito fechada, esperando um erro nosso. Sair nos pênaltis é muito dolorido. Os culpados são sempre os jogadores", disse Iniesta.

O meio-campista acredita na renovação da seleção espanhola a partir de agora. "Existem bons jogadores que estão aparecendo. Temos talento. O mais importante é reencontrar o caminho do sucesso. Não é fácil, mas temos bons jogadores que podem fazer isso", disse o campeão do mundo em 2010, na África do Sul, onde foi o autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Holanda na decisão da competição.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.