Susana Vera/Reuters
Susana Vera/Reuters

Iniesta volta atrás e cogita defender seleção espanhola depois da Copa

No mês passado, meia havia dito que não defenderia mais seu país depois do mundial

Estadão Conteúdo

05 Junho 2018 | 14h02

Andres Iniesta ainda não está tão seguro sobre seu futuro na seleção espanhola. No mês passado ele havia dito que não defenderia mais seu país depois da Copa do Mundo. Nesta terça-feira, no entanto, cogitou a possibilidade de seguir a vestir a camisa da Espanha por mais um tempo.

 

"É certo que este Mundial será minha última aparição com a seleção. Mas depois disso, vou analisar tudo, começar a jogar no meu novo clube e veremos as circunstâncias. Não descarto seguir, mas acho que será difícil, porque sempre tive uma vida relacionada entre Barcelona e seleção. Vamos analisar e decidir", disse.

Iniesta está com 34 anos e se despediu do Barcelona ao término desta temporada após defender o clube por 22 anos. O jogador foi apresentado há duas semanas como reforço do Vissel Kobe, da primeira divisão do Japão.

"A Copa na Rússia será especial porque será meu último Mundial. Mas não quero ter na cabeça que será a última, quero jogar como se fosse a primeira", disse. "Se você joga como o último pode te atrapalhar mentalmente. A gente vem de decepções na última Eurocopa e no Mundial. Temos que reagir", prosseguiu.

Desde que anunciou que deixaria o Barcelona, o jogador tem recebido uma série de homenagens. Nesta terça-feira, foi a vez do governo espanhol reconhecer os feitos de Iniesta no futebol. O presidente Pedro Sánchez visitou o centro de treinamento da seleção e entregou a Iniesta a medalha da Grande Cruz da Real Ordem do Mérito Desportivo.

"Agradeço a homenagem. Para mim é muito especial recebê-la. Não posso fazer nada mais do que agradecer meus companheiros de clube e de seleção porque recebo essa homenagem graças a eles", disse.

No Barcelona, Iniesta esteve presente na conquista de 32 títulos. Pela seleção espanhola, ele foi o autor do gol na vitória por 1 a 0 sobre a Holanda, que garantiu a taça inédita da Copa do Mundo, em 2010. Também teve presença fundamental nas conquistas das Eurocopas de 2008 e 2012.

A Espanha ainda fará um amistoso antes da estreia na Copa do Mundo. No sábado, enfrentará a Tunísia, em Krasnodar, na Rússia. A seleção de Iniesta está no Grupo B do Mundial e fará a primeira partida contra Portugal em 15 de junho, em Sochi. Completam a chave Irã e Marrocos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.