Insatisfeito no PSG, Cabaye admite pensar em voltar à Inglaterra

Insatisfeito no PSG, Cabaye admite pensar em voltar à Inglaterra

O titular da seleção francesa que diz dar o seu máximo nos treinos está insatisfeito com banco de reservas e pensa em deixar clube

Estadão Conteúdo

08 de outubro de 2014 | 16h41

O início de trajetória do volante Yohan Cabaye com a camisa do Paris Saint-Germain não está sendo nada fácil. Contratado para esta temporada com status de quem foi titular da seleção francesa na última Copa do Mundo, o jogador ainda não se adaptou ao estilo de jogo de sua nova equipe e tem amargado a reserva. Ele tenta esconder, mas admite a insatisfação com a situação.

"Você tem que aceitar ser um reserva, mas eu não fico tranquilo assim. Nos treinos, eu tento dar o máximo e mostrar o desejo de jogar", disse ao jornal L''Equipe. "Quando estou no campo, sinto que não está perfeito e que muitas vezes deixo o jogo muito cedo. Mas eu sei que o técnico e a comissão têm que fazer escolhas e eu respeito isso".

De tanto tocar no assunto, o volante deixa claro sua tristeza e chateação com a condição de reserva. "Se eu estou completamente feliz? Para ser honesto, não. É uma nova situação para mim, mas eu não reclamo. É a primeira vez que eu não jogo regularmente pelo meu clube".

Apesar da insatisfação evidente, Cabaye descarta conversar com o técnico do PSG, Laurent Blanc. "Se eu falei com o Laurent Blanc? Não. O que eu falaria para ele? Eu tenho 28 anos e não sou novo nesse emprego. Mas eu não estou satisfeito com a situação".

A principal preocupação dele com o atual momento é a possibilidade de perder espaço na seleção francesa. "Com a seleção, se um dia o técnico decidir me dar menos tempo de jogo porque eu não jogo regularmente pelo meu clube, eu precisaria fazer um balanço da situação com meus empresários", comentou, admitindo que pode deixar o PSG.

E se sua trajetória no time parisiense realmente tiver fim, Cabaye já tem um destino em mente: a Inglaterra, onde atuou de 2011 até o meio do ano pelo Newcastle. "Se eu sinto falta da Inglaterra às vezes? Sim. Às vezes eu penso nisso, mas imediatamente varro o pensamento porque poderia causar distração."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.