INSS aumenta fiscalização no futebol

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai intensificar a fiscalização nos estádios de futebol para tentar evitar irregularidades nos borderôs (boletins financeiros dos jogos). A legislação previdenciária prevê o recolhimento de 5% da renda bruta de cada partida de futebol para o INSS. Mas como clubes e federações estaduais têm adotado uma estratégia pouco transparente na divulgação da renda e público pagante na maioria dos jogos pelo Brasil, o INSS resolveu agir com mais firmeza, como relatou o auditor fiscal Sérgio Falcão, um dos coordenadores do trabalho de fiscalização em federações e clubes de futebol.Falcão e uma equipe de fiscais do INSS estiveram nesta quinta-feira na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para fazer uma proposta à entidade: a de que os borderôs sejam padronizados em todo Brasil. "Precisamos ter todas as informações referentes as despesas e receitas dos jogos", prosseguiu Falcão. Ele adiantou que a CBF acolheu a idéia e vai entrar em contato com as federações, a fim de formalizar a medida.Fiscais do instituto vão passar a acompanhar com mais freqüência as principais partidas de futebol em vários Estados com o objetivo de verificar a venda local de ingressos, o funcionamento das roletas eletrônicas, as condições dos cartões magnéticos que servem como bilhetes de entrada e o fechamento dos borderôs. O INSS não tem idéia de quanto deixou de arrecadar nos últimos anos por causa das irregularidades nos boletins dos jogos. Para esse trabalho ter mais eficácia, o INSS vai contar com o apoio do Ministério Público Federal (MPF) e da Receita Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.