Integrantes do Grupo H fogem da escassez de gols da Copa

Terminada a segunda rodada da primeira fase, a Copa do Mundo da Alemanha registra uma média de 2,34 gols por jogo - seria a segunda pior da história se a competição terminasse hoje, ficando apenas à frente da edição da Itália, em 1990, que teve média de 2,21.Se a quantidade de gols não é boa, definitivamente não é culpa dos integrantes do Grupo H. Nos quatro jogos disputados entre Espanha, Ucrânia, Arábia Saudita e Tunísia até agora, foram anotados 16 gols, exatamente quatro a cada partida.Os jogos desta segunda-feira reforçaram essa estatística. A Ucrânia goleou a Arábia Saudita por 4 a 0 e a Espanha bateu a Tunísia por 3 a 1. Na estréia, a Espanha havia imposto 4 a 0 sobre a Ucrânia e Arábia e Tunísia empataram por 2 a 2.Com esses resultados, os espanhóis chegaram aos seis pontos e classificaram-se com uma rodada de antecedência às oitavas-de-final, que já tem outras sete seleções garantidas: Alemanha, Argentina, Brasil, Equador, Holanda, Inglaterra e Portugal.Esta terça-feira definirá mais um classificado, que sairá do Grupo B. A Suécia precisa apenas de um empate contra a Inglaterra, em Colônia, para ficar com a vaga. Já Trinidad e Tobago necessita de uma vitória sobre o Paraguai, em Kaiserslautern, e torcer para que os suecos não vençam. Em caso de empate na partida de Colônia, a classificação seria definida no saldo de gols, que, no momento, é de 1 para os escandinavos e -1 para os centro-americanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.