Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Inter busca resposta diante do Tolima para curar ferida do Gre-Nal

Equipe colombiana nunca perdeu para uma equipe brasileira na competição

Redação, Estadão Conteúdo

19 de fevereiro de 2020 | 06h12

Depois de perder para o arquirrival Grêmio, no Beira-Rio, sábado passado, na semifinal do primeiro turno do Campeonato Gaúcho, o Internacional vai ter a chance de curar a ferida, caso consiga uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores. O primeiro duelo da última fase preliminar da competição será, nesta quarta-feira, às 21h30 (horário de Brasília), em Ibagué, na Colômbia, frente ao Tolima.

O jogo de volta será dia 26, no Beira-Rio. Caso consiga a vaga, o Inter vai ter a chance de enfrentar o Grêmio, no Grupo E, juntamente com o América de Cali e Universidad Católica.

Aos 38 anos, D'Alessandro, que vai disputar a 85.ª partida pela principal competição sul-americana, tentou tirar qualquer peso sobre o ombro de seus colegas no duelo. "Não há favoritismo e falo com sinceridade. Quando enfrentamos equipes importantes de outros países, a história fica de lado. Os títulos ficam de lado. São 11 contra 11. Tolima é boa equipe. Sabemos do nosso potencial, das nossas individualidades. Faremos uma boa partida e de tudo para levar um bom resultado para Porto Alegre. Precisamos fazer uma partida para merecer um bom resultado e tratar de ser inteligentes", afirmou o meio-campista canhoto.

Já o fato de o time colombiano jamais ter perdido em casa para equipes brasileiras em jogos de Libertadores não assusta o experiente meia. "Não vamos mudar a maneira de jogar. Trataremos de jogar da maneira que jogamos de local. Não sabemos jogar para nos defender. Sabemos jogar de igual para igual, seremos inteligentes para não deixar espaços. O Tolima é um time que se faz forte de local. Suponho que tentarão buscar o jogo. Eles têm a obrigação. Trataremos de cuidar e de contra-atacar o Tolima, mas também atacaremos. Atacaremos defendendo porque sabemos que o contra-ataque do Tolima é muito forte."

Se a intenção do Inter é atacar o Tolima, o técnico Eduardo Coudet terá mais uma opção ofensiva no banco de reservas. Trata-se do atacante William Pottker, livre de uma lesão muscular na coxa esquerda que o afastou dos gramados por 90 dias. Seu último jogo foi em 24 de novembro no empate, por 2 a 2, com o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro.

A única dúvida de Coudet está na lateral esquerda. Se Moisés não se recuperar de uma torção no tornozelo esquerdo, Uendel vai ficar com a vaga entre os titulares. Com isso, o time perde um pouco de ofensividade.

Na frente, a opção é tática. Coudet pode apostar na habilidade de Gabriel Boschilia, destaque na vitória sobre a Universidad de Chile, ou na velocidade de Marcos Guilherme, outro que vem se destacando quando entra na equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.