Alessandro Garofalo/Reuters
Alessandro Garofalo/Reuters

Inter de Milão é derrotada pela Udinese e pode perder a liderança do Italiano

Time estaciona nos 40 pontos com revés por 3 a 1, em casa, para equipe na parte intermediária da tabela

Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2017 | 14h10

A líder Internazionale foi duramente surpreendida neste sábado. Mesmo jogando em Milão, a equipe teve uma atuação decepcionante e foi derrotada pela Udinese por 3 a 1, pela 17ª rodada do Campeonato Italiano.

+ TEMPO REAL - Inter de Milão 1 x 3 Udinese

O frustrante resultado manteve a equipe com 40 pontos. Pode, assim, ser ultrapassada pelo Napoli, vice que soma 39 e enfrenta o Torino neste sábado - a Juventus, com 38, encara o Bologna no domingo e também pode tomar o posto. Já a Udinese chegou aos 21 pontos e subiu para 11º.

Diante de um adversário que vem encontrado dificuldades para se firmar na temporada, a Inter de Milão escalou suas principais estrelas - como Miranda, Perisic e Icardi - e entrou como grande favorita neste sábado. Mas foi surpreendida logo aos 14 minutos, quando o centroavante Kevin Lasagna abriu o placar para a Udinese.

A reação foi imediata. Logo no minuto seguinte, Icardi aproveitou cruzamento de Candreva, ganhou do zagueiro e bateu de primeira, firme, para igualar a partida com um bonito gol.

E a pressão do time mandante aumentou após o empate. A Inter de Milão controlava o meio-campo e encurralava a Udinese, embora pecasse nas finalizações. O castigo, então, veio já aos 15 do segundo tempo, quando o lateral Davide Santon cometeu pênalti. Na cobrança, com calma, o argentino Rodrigo De Paul fez o segundo da Udinese.

Desorganizada depois do gol, a Inter de Milão tentou uma pressão atabalhoada, sem muita objetividade. E, já aos 32, o meia checo Antonin Barak recebeu cruzamento sem marcação, complementou para as redes e sacramentou o resultado que pode mudar a liderança do Campeonato Italiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.