Ciro de Luca/Reuters
Ciro de Luca/Reuters

Inter de Milão volta a ser condenada por atos racistas de torcedores

Clube ficará em período probatório pelas próximas semanas e ficou sem uma sanção na prática

Redação, Estadão Conteúdo

19 de março de 2019 | 15h24

A Inter de Milão voltou a ser condenada nesta terça-feira por conta de racismo. O time italiano foi denunciado devido a cânticos racistas por parte de seus torcedores e foi condenado sem sofrer punição. O clube ficará em período probatório pelas próximas semanas.

Pela decisão da Federação Italiana de Futebol, o clube deveria ter parte de suas arquibancadas fechada. Porém, a entidade aplicou uma "punição suspensa", que deixa o clube sem uma sanção na prática.

De acordo com a condenação, "um porcentual significativo" de torcedores nas arquibancadas usaram ofensas raciais para atacar o meia Franck Kessie, do rival Milan, no clássico disputado no domingo. Os cânticos racistas teriam sido emitidos pelos torcedores aos 7 e aos 39 minutos do primeiro tempo.

A condenação ficará suspensa por um ano. Mas será acrescida a novas punições em caso de novas denúncias do tipo. Trata-se da segunda vez que a Inter é condenada por abuso racial. A primeira aconteceu em dezembro e teve o zagueiro Kalidou Koulibaly, do Napoli, como alvo. E obrigou o time a jogar com os portões fechados em janeiro, em rodada do Campeonato Italiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.