Inter descarta a volta de Ronaldo

A Internazionale de Milão descarta qualquer possibilidade de voltar a contratar Ronaldo e ainda insinua que Adriano deve render mais que o próprio Fenômeno durante sua passagem pelo clube. Em entrevista à Agência Estado, o presidente da equipe, Giacinto Facchetti, deixa claro que a Inter encontrou em Adriano o atacante brasileiro que tanto sonhava. O atual goleador da Inter está surpreendendo a comissão técnica da equipe e o presidente já fala em ampliar seu contrato para além de 2008, como estava previsto inicialmente. "Adriano será o principal protagonista da Inter para as nossas futuras conquistas", afirmou Facchetti.Depois da eliminação do Real Madrid da Liga dos Campeões da Europa contra a Juventus, na semana passada, a imprensa italiana indicou que a Inter estaria disposta a trocar Adriano por Ronaldo. O astro do Real incentivou a especulação ao comentar que "voltaria com prazer". Isso irritou a torcida, que deixou claro o que pensava do assunto. Durante a partida entre Inter e Porto, pela Copa dos Campeões, os torcedores protestaram contra a possibilidade de uma volta de Ronaldo, considerado em Milão como "traidor". Durante a partida, os mesmos torcedores viram Adriano marcar três e garantir a Inter nas quartas.Em 1997, presidida na época por Massimo Moratti, a Inter decidiu contratar Ronaldo como uma aposta para voltar a ganhar títulos na Europa e na Itália. O último título nacional havia sido em 1989. Ronaldo fez 59 gols em 99 jogos pela Inter e conquistou ainda a Copa da Uefa. O Imperador Adriano fez até agora 52 gols em 78 jogos. A média do ex-atacante do Flamengo, porém, é melhor. Em apenas três temporadas, Adriano fez 0,66 gol por jogo, contra 0,59 de Ronaldo em cinco temporadas.Facchetti insinua que a história de Ronaldo com a Inter está terminada. "Será difícil Ronaldo voltar a jogar na Inter. É um grande jogador, mas quando toma uma decisão como a que tomou, deve ser definitiva." O presidente também alfinetou Ronaldo. "No caso de Adriano, não estamos falando apenas de um grande jogador, mas de um modelo para os jovens. Seu comportamento deve ser seguido pelos que amam o futebol."Sobre o contrato do Imperador, o presidente não descarta sua extensão para além de 2008. "Esperamos conquistar a Copa do Campeões e vários outros títulos com ele", concluiu Facchetti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.