Ricardo Duarte / S.C. Internacional
Ricardo Duarte / S.C. Internacional

Inter diz ter convicção em trabalho e mira recuperação imediata

Time colorado vem de duas derrotas e um empate em quatro rodadas de Campeonato Gaúcho até aqui

Redação, Estadão Conteúdo

31 Janeiro 2019 | 10h05

O início complicado de temporada do Internacional se ampliou na noite de quarta-feira, quando o time não foi além de um empate com o Veranópolis por 1 a 1, fora de casa, pela quarta rodada do Campeonato Gaúcho. O time até havia iniciado a competição bem, com vitória sobre o São Luiz, mas agora acumula três tropeços consecutivos, com duas derrotas e um empate nesses compromissos, ocupando uma modesta sétima posição.

Cobrado, o técnico Odair Hellmann admitiu que o time precisar reagir imediatamente. Mas assegurou estar convicto das decisões que vem tomando no Inter neste começo de temporada, prometendo mais trabalho para fazer o time voltar a vencer já na segunda-feira, quando vai receber o Brasil de Pelotas, no Beira-Rio, pela quinta rodada do Gaúcho.

"A gente sabe que tem que dar resposta imediata. Todos sabemos. Isso é a convicção, Não adianta, em palavras, não vou conseguir fazer o segundo gol. Vamos continuar com a convicção. Não é momento que nos favorece? Não. É momento normal? Não. Temos indignação muito forte em dar uma resposta o mais rápido possível", disse.

Odair garante que não se sente pressionado no comando do Inter, embora tenha admitido que os resultados não são normais e estão aquém do potencial do time. A diretoria também se lembra que a equipe oscilou nos primeiros meses de 2018, quando caiu nas quartas de final do Gaúcho para o Grêmio e na quarta fase da Copa do Brasil para o Vitória, mas depois fez um bom Campeonato Brasileiro, sendo o terceiro colocado.

"Eu não me sinto pressionado. Me sinto respaldado. Agora, tem análise muito clara. Não é normal perder dois jogos e empatar um. Jamais faria isso, ainda mais no Inter", disse Odair, esperançoso que o jejum do time chegue em breve ao fim.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.