Divulgação/Santos FC
Divulgação/Santos FC

Inter e Santos começam Brasileirão como líderes no ranking de estrangeiros

Times têm cada um sete jogadores nascidos em outro país, de um total de 65 que vão disputar o torneio

Efe, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2019 | 10h17

Internacional e Santos são os times com maior número de estrangeiros no Campeonato Brasileiro, cada um com sete jogadores, enquanto a Argentina é o país que mais forneceu atletas para os participantes da competição, que começa neste sábado.  Ao todo, os clubes contem com 65 atletas nascidos em outras nações.

Apenas dois clubes, Bahia e Ceará, não contam com qualquer jogador nascido fora do Brasil. O levantamento foi feito a partir dos sites oficiais dos 20 integrantes da Série A, com base nos elencos listados. O Inter tem os argentinos Víctor Cuesta, Andrés D'Alessandro, Martín Sarrafiore, os uruguaios Nico López e Jonathan Álvez, o peruano Paolo Guerrero e o colombiano Santiago Tréllez.

O Santos, por sua vez, tem os colombianos Felipe Aguilar e Jonathan Copete, o paraguaio Derlis González, o peruano Christian Cueva, o uruguaio Carlos Sánchez, o venezuelano Yeferson Soteldo, além do costa-riquenho Bryan Ruiz, que não vem atuando. O clube da Vila Belmiro, aliás, é o único time da elite do futebol brasileiro que conta com um técnico estrangeiro, o argentino Jorge Sampaoli.

Vale lembrar que, na Série A, cada equipe só pode relacionar cinco jogadores nascidos em outros países para as partidas, diferente do Copa Libertadores e na Copa Sul-Americana. Nessas competições não há restrições. No ranking dos países presentes, a Argentina lidera com 18 representantes, seguida pela Colômbia, que tem 15, e Uruguai, que tem dez e fecha as três primeiras posições. Na sequência, aparecem Paraguai (nove), Equador e Peru (quatro), Chile e Venezuela (dois) e Costa Rica (um).

Confira os estrangeiros do Campeonato Brasileiro:

Athletico Paranaense (5): Tomás Andrade, Lucho González, Braian Romero e Marco Rubén (Argentina)

Atlético Mineiro (4): Martín Rea e David Terans (Uruguai), Yimmi Chará (Colômbia) e Juan Cazares (Equador)

Avaí (2): Jonny Mosquera (Colômbia) e Feliciano Brizuela (Paraguai)

Botafogo (3): Joel Carli (Argentina), Leo Valencia (Chile) e Gatito Fernández (Paraguai)

Chapecoense (2): Diego Torres (Argentina) e Edgardo Orzuza (Paraguai)

Corinthians (6): Ángel Romero e Sergio Díaz (Paraguai), Mauro Boselli (Argentina), Ángelo Araos (Chile), Junior Sornoza (Equador) e Bruno Méndez (Uruguai)

Cruzeiro (3): Ariel Cabral e Lucas Romero (Argentina), Luis Manuel Orejuela (Colômbia)

CSA: Pablo Armero e Andrés Escobar (Colômbia) e Cristian Maidana (Argentina)

Flamengo (6): Gustavo Cuéllar, Fernando Uribe e Orlando Berrío (Colômbia), Piris Da Motta (Paraguai), Miguel Trauco (Peru) e Giorgian De Arrascaeta (Uruguai)

Fluminense (1): Yony González (Colômbia)

Fortaleza (2): Juan Quintero (Colômbia) e Santiago Romero (Uruguai)

Goiás (2): Nilson Loyola (Peru) e Leandro Barcia (Uruguai)

Grêmio (2): Walter Kannemann e Walter Montoya (Argentina)

Internacional (7): Víctor Cuesta, Andrés D'Alessandro, Martín Sarrafiore (Argentina), Nico López e Jonathan Álvez (Uruguai), Paolo Guerrero (Peru) e Santiago Tréllez (Colômbia)

Palmeiras (3): Miguel Borja (Colômbia), Gustavo Gómez (Paraguai) e Alejandro Guerra (Venezuela)

Santos (7): Felipe Aguilar e Jonathan Copete (Colômbia), Bryan Ruiz (Costa Rica), Derlis González (Paraguai), Christian

Cueva (Peru), Carlos Sánchez (Uruguai) e Yeferson Soteldo (Venezuela)

São Paulo (4): Robert Arboleda e Joao Rojas (Equador), Jonatan Gómez (Argentina) e Gonzalo Carneiro (Uruguai)

Vasco (3): Maxi López (Argentina), Oswaldo Henríquez (Colômbia) e Raúl Cáceres (Paraguai)

Confira os países que terão jogadores no Nacional

Argentina - 18

Colômbia - 15

Uruguai - 10

Paraguai - 9

Equador - 4

Peru - 4

Chile - 2

Venezuela - 2

Costa Rica - 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.