Ricardo Duarte/Inter
Ricardo Duarte/Inter

Inter mostra preocupação com situação no Chile; Conmebol antecipa horário de jogo

Conflitos entre torcedores e policiais em Santiago deixam equipe gaúcha tensa para partida pela fase prévia da Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

03 de fevereiro de 2020 | 12h50

A delegação do Internacional já está em Santiago para sua estreia na segunda fase preliminar da Copa Libertadores, mas a preocupação com a situação no Chile ainda é grande para a partida diante da Universidad de Chile,  marcada para essa terça-feira. O fim de semana foi de mais conflitos entre torcedores chilenos e os "carbineros", policiais federais que fazem o policiamento ostensivo nas cidades do país.

Após a interrupção do jogo entre Coquimbo Unido e Audax Italiano e os conflitos registrados durante a partida entre Universidad de Chile e Curicó Unido, pelo Campeonato Chileno, a Conmebol confirmou o confronto do Internacional nesta terça-feira, mas com uma hora de antecedência - passou de 19h15 para 18 horas (de Brasília). O objetivo é evitar que os torcedores deixem o estádio Nacional à noite.

Os conflitos se agravaram com a morte do torcedor Jorge Luís Mora, de 22 anos, atropelado por um caminhão da polícia perto do estádio Monumental, onde o seu time, o Colo-Colo, venceu o Palestino por 3 a 0, na última terça-feira, pela primeira rodada do Campeonato Chileno.

Apesar do momento político conturbado, a Conmebol e os clubes mantiveram o jogo. Eles receberam a garantia do Ministério do Interior do Chile, que é responsável pela segurança pública local. Com isso, as vendas de ingressos que haviam sido suspensas no sábado, voltaram a ocorrer nesta segunda-feira.

"Nossa preocupação é com o adversário. Viemos para fazer nosso jogo, respeitando todo o cenário adverso que existe, principalmente agora com a morte do torcedor do Colo-Colo. A gente espera que o futebol não pague esse preço. Estamos aqui para cumprir um compromisso internacional. A gente torce para que tudo ocorra normalmente", afirmou o presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, em entrevista na chegada da delegação ao hotel em Santiago.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.