Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Inter perde do Barça, mas decide a Liga dos Campeões

Mesmo com a expulsão de Thiago Motta no primeiro tempo, time italiano garantiu a classificação e agora enfrenta o Bayern de Munique

AE, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 18h16

A Internazionale de Milão já pode comemorar o retorno a uma final de Liga dos Campeões após 38 anos. Nesta quarta-feira, a equipe milanesa foi a Barcelona e teve uma grande atuação defensiva para segurar o ímpeto da equipe anfitriã e fazer valer a vantagem conquistada em casa. Depois de vencer por 3 a 1 na Itália, a Inter perdeu por 1 a 0 no Camp Nou e avançou à grande decisão.

Veja também:

Blog da Liga: Italianos contra um tabu na final

Na final da principal competição europeia, a equipe dos brasileiros Júlio César, Maicon, Lúcio e Thiago Motta encontrará o Bayern de Munique, que eliminou o Lyon na terça. A decisão será disputada em jogo único, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, no próximo dia 22 de maio, um sábado. Será a quinta final da Inter, bicampeã da Liga dos Campeões em 64 e 65.

Apesar da classificação do time italiano, ficou evidente o domínio da equipe catalã no Camp Nou, conseguindo uma pressão no fim que só não terminou com a classificação porque o árbitro anulou um gol nos acréscimos, em lance duvidoso. Atual campeão da Liga, o Barça teve 75% da posse de bola em casa e deu 12 chutes a gol, contra apenas um da Inter, que foi para fora.

Ciente de que precisava apenas se segurar na defesa para ir à final, o time do técnico José Mourinho mostrou extrema aplicação tática, com até seus atacantes ajudando na marcação. Por outro lado, a equipe de Josep Guardiola tinha dificuldades para furar a retranca italiana e ainda não pôde contar com a estrela de Lionel Messi, que teve uma atuação apagada.

No primeiro tempo, Pedro já tinha perdido boa chance para os anfitriões antes de Thiago Motta tornar as coisas mais difíceis para a Inter. Com 28 minutos, ele foi vítima do rigor do árbitro e recebeu o segundo cartão amarelo ao tentar proteger a bola e acertar o rosto do adversário. Expulso, o brasileiro deixou o time italiano com um menos. O Barça, porém, não soube aproveitar a vantagem numérica.

Se na etapa inicial Messi tinha obrigado Júlio César a fazer grande defesa, no segundo tempo o argentino não apareceu para o jogo e o Barça pressionou apenas no fim. No sufoco, o time catalão abriu o placar aos 38, após Bojan perder boa chance. Surpreendentemente, o zagueiro Piqué apareceu na área em posição duvidosa, deu um giro que deixou o goleiro brasileiro e Córdoba no chão, e bateu para o gol vazio.

Precisando de apenas mais um gol, o Barça foi todo ataque nos minutos finais. Aos 41, Júlio César fez duas defesas na sequência, em chutes de fora da área de Xavi e Messi. Mas foi Bojan quem conseguiu vencer o goleiro da seleção brasileira, já aos 46, acertando o ângulo após sobra na área. No entanto, o lance foi anulado pelo árbitro, que viu mão de Touré no início da jogada.

Com o apito final tão esperado, os jogadores da Inter e principalmente Mourinho comemoram muito a classificação em pleno Camp Nou. O treinador português busca o seu segundo título da Liga das Campeões, competição que já venceu em 2004, com o Porto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.