Inter promete ir para cima do São Paulo

O Internacional vai arriscar tudo contra o São Paulo, neste sábado, no Morumbi. O time terá somente dois especialistas no meio-campo, os volantes Claiton e Flávio, e três atacantes. "É melhor agredir do que deixar o São Paulo jogar", explica o técnico Muricy Ramalho. Os motivos para justificar uma atitude tão ousada contra um adversário perigoso vão desde a necessidade de ganhar jogos fora de casa até a falta de um armador cerebral para ditar o ritmo e reter a bola no ataque."Não temos um controlador que pense o jogo em campo", reconhece o técnico. Os ausentes Cleiton Xavier, no Pan-Americano, Daniel Carvalho e Diego, contundidos, não preenchiam exatamente a característica desejada por Muricy, mas compensavam com jogadas criativas em direção ao gol adversário ou cavando faltas e pênaltis.A tarefa de partir para cima do São Paulo será confiada a Nilmar, que volta ao time depois de participar da seleção brasileira que disputou a Copa Ouro, Jéfferson Feijão e Cidimar, que continuam titulares. Estes dois, mais do que Nilmar, estão encarregados de auxiliar na marcação e povoar o meio-campo quando o São Paulo estiver com a bola. "É um sacrifício necessário para o bem do time", conforma-se Jéfferson Feijão.Depois de passar algumas rodadas na liderança, no início do campeonato, o Internacional vem caindo na tabela e chega à 23ª rodada como sétimo colocado, com 35 pontos. O retrospecto fora de casa não é bom, com apenas duas vitórias em 11 jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.