Inter se revolta com arbitragem e lamenta seus erros

Um misto de revolta com a arbitragem e lamentação pela incompetência ofensiva da equipe foi a tônica das entrevistas com os jogadores do Internacional após a derrota de 2 a 1 para o Corinthians, na última quarta-feira à noite, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro.

AE, Agencia Estado

20 de agosto de 2009 | 10h31

"Foram dois gols impedidos [do Corinthians] e deveriam ter sido invalidados, mas temos que assumir a responsabilidade pelo resultado também. O que nos deixa motivados para o futuro foi a atuação. Fica a expectativa para os próximos jogos", disse o goleiro Lauro.

O atacante Alecsandro, autor do gol do Inter no confronto com o Corinthians, também preferiu vislumbrar o futuro. "Saímos chateados pela derrota, mas temos 20 partidas ainda", lembrou. "Não vai ser uma derrota que vai nos tirar do rumo", reforçou Andrezinho.

O capitão do Inter, Guiñazu, por sua vez, comentou o grande número de chances perdidas. "Criamos muitas situações e erramos um monte de gols", lamentou.

O técnico Tite compartilhou da opinião de Guiñazu. "O Inter criou pelos dois lados, mas não foi efetivo no último toque. Temos que corrigir detalhes, mas repetir o padrão de desempenho nos próximos jogos", avaliou o treinador, que não deixou de criticar a arbitragem. "As coisas se repetem. É duro. Os dois gols do Corinthians foram em posição de impedimento?, disse.

Já o vice-presidente de futebol do Inter, Fernando Carvalho, afirmou que o Inter merecia melhor sorte no confronto. "O resultado foi injusto. Jogamos mais do que o Corinthians e poderíamos ter vencido", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.