Claude Paris/AP Photo
Claude Paris/AP Photo

Inter tenta sair da crise contra o Olympique em Marselha

Sem vencer há seis jogos, equipe italiana quer se reabilitar na Liga dos Campeões

Jornal da Tarde

22 de fevereiro de 2012 | 08h32

O jogo desta quarta-feira contra o Olympique em Marselha será um divisor de águas na temporada da Inter: se perder, a crise provocada pelas seis partidas sem vitória (cinco derrotas e um empate) se tornará ainda mais grave e causará a demissão do técnico Claudio Ranieri. Se ganhar ou conseguir um empate sem gols que facilite sua vida no jogo de volta dia 13 em Milão, receberá uma carga de oxigênio para tentar se reerguer.

“É a partida ideal para nossa recuperação”, disse Ranieri, que garante não estar preocupado com os rumores de que seu emprego está por um fio. “Não me preocupo com o que dizem, minha cabeça está apenas na partida que vamos disputar.”

A Inter está fora da Copa da Itália e ocupa a sétima posição no Campeonato Italiano – o que não lhe daria o direito de disputar nem a Copa dos Campeões nem a Liga Europa na próxima temporada. Daí a importância de começar a reagir logo.

Ranieri não deu a escalação da equipe. A dúvida é sobre a presença do meia Sneijder, que vem jogando muito mal. “Não tentem interpretar minhas palavras para descobrir se ele vai jogar. Esperem até amanhã.”

Na equipe francesa, o técnico Didier Deschamps tem dito aos seus jogadores para não se iludirem com o rendimento ruim da Inter nas últimas partidas. “Eles têm jogadores de grande capacidade ofensiva, como Milito, Pazzini, Sneijder, Forlán, Zarate... Um time que tem um elenco com esses nomes nunca pode ser menosprezado.”

A outra partida de hoje será na Suíça, onde o surpreendente Basel – que na fase de grupos derrubou o Manchester United – receberá o Bayern de Munique. A equipe alemã terá um desfalque importante: o meia Schweinsteiger. “Ele é tão importante para nós como Xavi e Iniesta para o Barcelona”, disse o técnico Jupp Heynckes.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolinternazionaleolympique

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.