Inter vence e acentua crise no Flamengo

Com uma má atuação do meia Felipe, o Flamengo foi derrotado pelo Internacional, por 2 a 1, neste domingo à tarde, em Volta Redonda, e, além de continuar sem vencer, permaneceu na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, com apenas três pontos, em seis rodadas. Agora, o Rubro-Negro precisa vencer o clássico do próximo final de semana contra o Fluminense para se recuperar na competição.Antes de sofrer o gol, aos 11 minutos, o Flamengo teve o domínio em campo e, por duas vezes, ameaçou o goleiro Clemer. Mas, em um lance pela esquerda da área, o meia Marabá entrou livre e chutou a bola, defendida pelo goleiro rubro-negro Júlio César. No rebote, o estreante atacante Danilo inaugurou o marcador.Com o gol, o Internacional adotou uma postura defensiva e passou a explorar os contra-ataques. Apesar do espaço para criar, os jogadores do Flamengo pouco ameaçaram Clemer, o que ocorreu somente aos 30 minutos em um belo chute do lateral-esquerdo Roger, defendido pelo goleiro.No segundo tempo, mesmo com as modificações do técnico Abel Braga, que colocou Jônatas e Diogo, nos lugares de Da Silva e Zinho, o Flamengo não conseguiu melhorar seu desempenho. Apesar do domínio em campo, facilitado pela formação tática do Internacional, a equipe carioca sentiu a falta de um bom desempenho de Felipe.A falta de eficiência ofensiva do Rubro-Negro permitiu o segundo gol do Internacional, com Marabá, que aproveitou um contra-ataque, aos 27 minutos, e chutou forte, sem defesa para Júlio César. Diante da ampla vantagem gaúcha o Flamengo ainda tentou esboçar uma reação.Aos 33 minutos, Jônatas aproveitou uma falha da zaga do Internacional e, pela direita, chutou forte no canto esquerdo de Clemer, descontando para o Flamengo. Dois minutos depois, Felipe desperdiçou a oportunidade de empatar a partida para o time carioca. Aos 37 minutos, o meia cobrou um pênalti sofrido por Jônatas, mas o goleiro da equipe gaúcha defendeu. Após perder o pênalti, Felipe passou a ser criticado pelos torcedores, que cobraram uma boa atuação em campo. Durante a semana, o meia se desentendeu com os diregentes rubro-negros, depois que eles pediram sua dispensa dos amistosos da seleção brasileira, contra a França e Catalunha. Ele não escondeu sua irritação e desapontamento com o episódio, que o impediu de viajar."A gente fica chateado porque a torcida não nos ajuda. A gente faz um sacrifício por um lado, o financeiro, porque o pagamento não está em dia", disse Felipe. "A vaia faz parte da profissão. Se a torcida não estiver satisfeita com o meu trabalho, chega até a diretoria, faz pressão, que eu saio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.