Divulgação
Divulgação

Interditada, Arena Pantanal passa por reparos emergenciais

Estádio de Cuiabá (MT) teve detectados problemas de projetos, de obras e de mau uso que colocam em risco seus frequentadores

Fátima Lessa, Cuiabá

23 de janeiro de 2015 | 20h12

 A Arena Pantanal em Cuiabá (MT) continua interditada e passa porreparos emergenciais. A interdição do estádio que custou R$ 570,1 milhões aconteceu na tarde daquarta-feira depois de terem sido detectados problemas de projetos, de obras ede mau uso  que colocam em risco os seus frequentadores. A aberturado campeonato estadual de 2015 está ameaçado de não ser realizado no local.Mesmo que seja liberada para a abertura, o que será decidido apenas na próximaterça-feira, dia 27, a Arena deve ter uso restrito e alguns jogos.

Segundo o secretário extraordinário do Gabinete de ProjetosEstratégicos, Gustavo Oliveira, abrir o estádio para uma grande quantidade depessoas sem a responsabilização de minimizar os riscos não é admissível.“Podemos abrir alguns setores ou apenas os anéis inferiores, mas isso serádebatido com a federação”, destacou. Construída para um público de 43 mil, hojesua capacidade fica entre 3 a 4 mil

O estádio que abrigou quatro jogos da primeira fase da Copa estácom aspecto desolador com marcas de abandono, dentro e ao redor. Relatóriotécnico revelou infiltrações, goteiras na subestação elétrica, problemas dedrenagem de águas pluviais, risco de queda de forro e praga no gramado. O problema com a parteelétrica começou surgir em novembro do ano passado quando uma égua da cavalariada PM morreu eletrocutada. 

No caso da não condição de sediar os jogos ou que tenha usorestrito, uma alternativa para a realização dos jogos é o estádio Presidente EuricoGaspar Dutra, popularmente conhecido como Dutrinha, na região central dacapital, com capacidade para 7 mil pessoas. Ele passou por reformas antes dosjogos da Copa.

Nesta sexta-feira, Oliveira, se reuniu com representantes daFederação Mato-grossense de Futebol (FMF). Na segunda-feira (26) está marcadauma vistoria no gramado. E no dia 27 será comunicada a possibilidade ou não darealização da abertura do campeonato

Otimista, ele acredita que os problemas apresentados não são degrandes proporções, mas há risco de torcedores escorregarem, além dapossibilidade das chuvas derrubarem o sistema elétrico e eletrônico nos dias dejogos.

Na quarta-feira (21.01) uma vistoria foi realizada no estádio com aparticipação de representantes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros paraverificar itens apontados no relatório da auditoria, contudo, outros problemassurgiram devido às chuvas.

“A FMF esta ciente de tudo, desde o começo, e esta empenhada em nos ajudar natarefa para achar equipe técnica para recuperar o gramado. A arena funcionoubem durante a Copa do Mundo, mas com a intensificação das chuvas, os problemasque na seca não apareciam passaram a aparecer”, disse o secretário.

Conforme Gustavo de Oliveira, a construtora não se furtou de realizar osreparos de problemas não detectados na época da construção, principalmenteproblemas de drenagem no subsolo. “Alguns problemas são de projeto e não deexecução da obra”.

Caso os reparos sejam realizados a tempo, o campeonato estadual de futebol deveocorrer na Arena Pantanal. Com o fim dos jogos, o estádio deve ser fechado porum curto período de tempo para a conclusão das reformas. A construtora MendesJúnior deve apresentar ao Governo do Estado um cronograma para a conclusão daobra até o final de fevereiro. 

Os custos do reparo na Arena Pantanal ainda não foram calculados, mas osecretário extraordinário Gustavo Oliveira disse que até sábado (24.01) elesserão conhecidos. “Alguns reparos serão arcados pelos fornecedores comogoteiras e uma torre de ar condicionado, outros pela FMF como a praga nogramado e outros reparos o governo vai pagar, mas são de pequena monta”. 

Pendência. AConstrutora Mendes Júnior apresentou planilhas que apontam que ainda restam R$70 milhões a ser pagos pelas obras da Arena Pantanal. Os valores ainda sãoauditados pela Controladoria Geral do Estado. Nenhum valor será pago sem quepasse pelo crivo de uma análise apurada por auditores.

O secretário-controlador Geral, Ciro Gonçalves, disse que as pendênciasconstrutivas da Arena Pantanal foram concluídas em 3 de janeiro e o relatóriofoi entregue na terça-feira (20.01) ao governador Pedro Taques e até a primeiraquinzena de fevereiro, a análise sobre os custos financeiros será concluído.“Já estamos analisando as planilhas para conferir as medições, os valores pagose o que ficou pendente”.

Tudo o que sabemos sobre:
Arena PantanalEstádio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.